Sem home office

Sindicato de MT perde na Justiça e trabalho presencial segue obrigatório

O juiz da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá, Bruno D’Oliveira Marques, negou pedido de liminar ao Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário e Pecuário de Mato Grosso, que pedia a retomada do trabalho de home-office aos servidores públicos do Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat) e do Instituto de Defesa Agropecuária (Indea).

A decisão foi publicada nesta quarta-feira (23) no Diário da Justiça.

De acordo com o pedido dos sindicalistas, o home office deve perdurar até a retomada de classificação de risco dos municípios para baixa, de acordo com as regras da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

O magistrado entendeu que cabe a cada um dos Poderes – Legislativo, Executivo e Judiciário – no limite de suas competências, fixar as regras de trabalho que conciliem a prestação dos serviços com a preservação de saúde dos trabalhadores enquanto vigorar a pandemia da covid-19.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSem improbidade
Próximo artigoIPTU: saiba como idosos podem conseguir a isenção