Seja um super-herói

Por Francisney Liberato

Acreditar é a base de toda autoconfiança. Seja você um super-herói da vida real.

Mãos nos quadris, pés afastados, ombros para trás e olhar para frente com confiança. Parece até recomendação de pai e de mãe, para mantermos a postura correta.

Quando criança, participei por muitos anos, dos desbravadores, a qual similarmente, pode ser comparado com os escoteiros. Tínhamos várias atividades no clube, e os conselheiros sempre chamavam a nossa atenção, para que mantivéssemos a postura reta: cabeça erguida, peito estufado e olhar para frente.

Nos desenhos animados e filmes, temos a personagem, heroína, chamada de “Mulher Maravilha”, a sua posição é firme e o olhar, imperativo.

Um outro personagem, dos quadrinhos e da televisão, é o “Super-homem”. Ele utiliza da mesma estratégia da mulher maravilha, isto é, uma posição confiante, e punhos cerrados.

Se observarmos o cenário futebolístico, perceberemos que existe um jogador que quando vai fazer a cobrança de uma falta, estica os braços ao lado cintura e faz uma posição segura e fixa, para as traves e o goleiro, estamos falando do CR7, o português, que já conquistou por 5 vezes o título de melhor jogador do mundo.

Em um mundo, onde as pessoas estão cada dia mais tristes e desanimadas, sem forças para manter o foco, eis uma sugestão que pode revolucionar as nossas vidas. A posição firme e o olhar confiante para o futuro, pode parece brincadeira de criança, ou expressão figurativa, mas não é.

A princípio, ao olhar para uma posição como essa, nos dá a sensação de alguém imbatível, inabalável e com força. Por dentro desses personagens, pode ser que haja os maiores problemas do mundo, mas eles se mantêm com a confiança, que aliás, é a chave para conservarem uma vida em pé.

De acordo com a pesquisadora, Amy Cuddy, socióloga da Universidade de Harvard, manter o peito estufado, pés afastados e coluna reta, como os super-heróis mencionados, passa a mensagem ao cérebro, de que você é um ser poderoso e que tem todas as situações sob controle, irradiando confiança.

A pesquisa comprovou que, ao manter o corpo nessa postura poderosa, por apenas 2 minutos, na frente do espelho, a sua taxa de testosterona se eleva em até 20%, fazendo você se sentir mais poderoso e dominante. Ao mesmo tempo, diminui em 15% o nível do hormônio do estresse, o cortisol.

Sabia que a postura corporal pode afetar diretamente a nossa autoavaliação. Se você acreditar que pode, com certeza, conseguirá realizará o que bem entender. O contrário também é real, pois, se você acreditar que não consegue, consequentemente, o seu cérebro vai entender dessa maneira.

É necessário se posicionar. Não podemos ser influenciados e destruídos pelos nossos pensamentos sabotadores, e muitos menos pelas pessoas que estão ao nosso redor. Diz um ditado popular, assim “quem muito se abaixa a bunda aparece”. Você precisa se posicionar, em quaisquer ambientes em que conviva, pois se descuidar, as pessoas podem explorar a sua boa vontade. Você é livre e não foi feito por Deus, para ser escravo de ninguém.

Está passando por dificuldades? A sua confiança está abalada? A vida está muito difícil, como a de muitos brasileiros? Dê uma basta nisso, pratique a posição ensinada pelo nossos pais e pelos nossos personagens.

Você pode fazer essa posição todos os dias, independente se a situação está complicada, ou não, pois assim você manterá um padrão de vida, com uma postura mais elevada e confiante, rumo a um futuro glorioso.

Francisney Liberato Batista Siqueira é Auditor Público Externo do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, Palestrante Nacional, Professor, Coach, Mentor, Advogado e Contador. Autor dos Livros “Mude sua vida em 50 dias”, “Como falar em público com eficiência” e “A arte de ser feliz”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMenino ganha festa com temática de bombeiro: “super-herói favorito”
Próximo artigoUm mundo sem cemitérios

O LIVRE ADS