Quase metade das mulheres assassinadas em MT é vítima feminicídio

Os números são de 2019 e podem ser ainda maiores, já que 31% dos crimes ainda não teve a investigação concluída

(Foto: Reprodução)

Das 87 mulheres assassinadas em Mato Grosso ao longo de 2019, quase metade – 39 delas – foi vítima de feminicídio. Mas como 31% das investigações ainda não foram finalizadas, é possível que esse número seja ainda maior.

Os dados são do levantamento feito pela Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (Ceac) da Secretaria de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp-MT).

Um estudo que apontou ainda: a maior parte dessas mulheres foi morta por arma de fogo e faca. Tinham entre 36 e 45 anos e, quase sempre, o crime teve motivação passional.

“A investigação do crime é complexa e a consolidação da motivação pode exigir extensão de prazo e envio posterior pelas delegacias”, explica a assessoria da Sesp-MT.

A tipificação do feminicídio foi incluída no Código Penal pela Lei 13.104/2015 na categoria de crime contra a vida.

Caracteriza todo crime de homicídio contra mulheres praticados em virtude de violência doméstica e familiar ou menosprezo/discriminação contra a condição feminina.

Formas do assassinato

  • 37% arma de fogo
  • 25% arma cortante ou perfurante
  • 8% arma contundente
  • 10% uso da força muscular
  • 19% outros meios
  • 1% veneno

Motivação

  • 38% passional
  • 15% envolvimento com drogas
  • 6% rixa
  • 6% vingança
  • 1% motivo fútil
  • 1% ambição
  • 1% pedofilia
  • 1% álcool

Dias da semana

  • Sexta-feira 17 casos
  • Quinta-feira 15 casos
  • Sábado 14 casos
  • Domingo 12 casos
  • Segunda-feira 12 casos
  • Quarta-feira 10 casos
  • Terça-feira 7 casos

Faixa etária das vítimas

  • 21 com idade entre 36 e 45 anos
  • 15 com idade entre 18 e 24 anos
  • 11 com idade entre 25 a 29 anos
  • 11 idade entre 30 e 35 anos
  • 9 com idade entre 46 e 59 anos
  • 9 com idade entre 12 e 17 anos
  • 6 com mais de 60 anos
  • 3 com idade entre 0 e 11 anos
  • 2 não tiveram idade informada

Locais dos crimes

Já em relação às cidades onde ocorreram feminicídios comprovados em 2019, Primavera do Leste lidera o ranking com quatro mortes.

É seguida por Sinop (3), Várzea Grande (3), Chapada dos Guimarães (2), Peixoto de Azevedo (2), Rondonópolis (2) e Sorriso (2).

Os demais municípios apresentaram um registro cada: Água Boa, Alto Taquari, Cáceres, Campo Vede, Comodoro, Confresa, Diamantino, Juína, Mirassol D’Oeste, Nobres, Nova Mutum, São Félix do Araguaia, São José dos Quatro Marcos, Tabaporã, Tangará da Serra, Torixoréu e União do Sul.

Casos de homicídio aumentaram

Dentro do acompanhamento de homicídios envolvendo vítimas femininas, houve aumento em 2019. Foram cinco casos a mais do que no mesmo período de 2018.

De acordo com a série histórica, Mato Grosso registrou 85 homicídios de mulheres no período de janeiro a dezembro de 2015; 91 em 2016; e 84 em 2017.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.