Publicitário alérgico a camarão morre após comer comida japonesa

Namorada disse que eles acreditavam que não havia o ingrediente na comida e, por isso, ingeriram, mas o homem passou mal em seguida

Foto: arquivo pessoal

Um publicitário de 47 anos, identificado como José Roberto Figueiredo, conhecido como Robertão, morreu na madrugada desta quinta-feira (8) após comer comida japonesa. A suspeita inicial é de que havia camarão na comida, ingrediente a que a vítima era alérgica.

José Roberto havia pedido a comida japonesa em sua casa, no condomínio Florais Cuiabá, na Capital, para consumir na companhia da namorada.

Após comer, porém, ele começou a passar mal e foi até o banheiro de seu quarto.

A namorada ouviu um barulho de queda, porém, a porta estava trancada, então ela chamou os seguranças do condomínio para pedir ajuda.

Os seguranças arrombaram a porta e encontraram José Roberto caído no chão e desacordado.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e tentou reanimar o publicitário, mas ele já estava sem vida. A equipe constatou que ele estava com uma lesão na cabeça.

A Polícia Militar, a Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) e a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) foram acionadas.

A namorada de José Roberto, de 42 anos, disse que ele é alérgico a camarão e que, por saberem disso, pediram a comida sem o ingrediente. Porém, logo após consumirem a comida ele começou a passar mal. Por isso, ela acredita que, de alguma forma, a comida possa ter tido contato com camarão.

Ela contou, ainda, que o namorado havia passado por um procedimento cirúrgico facial estético recentemente.

O caso foi registrado como morte acidental e morte a esclarecer sem indícios de crime. O recipiente em que a comida japonesa estava guardada antes de ser consumida foi recolhido para perícia.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMenino de oito anos com suspeita de infecção no cérebro luta pela vida em VG
Próximo artigoDoze pessoas são autuadas por participação em incêndio a viatura de delegacia