Menino de oito anos com suspeita de infecção no cérebro luta pela vida em VG

A criança, moradora de Lucas do Rio Verde, conseguiu a transferência para internação em Várzea Grande após intervenção da Defensoria Pública

(Foto: Terra MT Digital)

Um menino de oito anos, morador de Lucas do Rio Verde (330 km de Cuiabá), está internado em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande, após intervenção da Defensoria Pública de Mato Grosso, com pneumonia e suspeita de quadro grave de infecção no cérebro.

Segundo a mãe do pequeno R.F.P.S., a operadora de caixa Andressa, há sete dias o filho apresentou febre. Ela procurou um Posto de Saúde, onde o menino foi medicado e liberado.

Depois disso, ele apresentou diarreia e vômito e ela buscou ajuda na farmácia. A situação piorou, no entanto, na madrugada da segunda-feira (5), quando o menino deu entrada no Pronto-Socorro de Lucas do Rio Verde com febre, diarreia, vômito, convulsão e cefaleia.

Na unidade médica, a criança foi sedada e intubada e passou a receber ventilação mecânica. Foram feitos exames e estes indicaram que o menino estava com pneumonia por broncoaspiração e suspeita de meningoencefalite, inflamação do cérebro e meninges, e que precisava de uma UTI com urgência.

Os médicos caracterizaram o caso do menino como sendo grave e disseram que ele corria risco de sofrer sequelas sérias e permanentes, ou até mesmo morrer, caso não recebesse atendimento adequado de uma estrutura de tratamento intensivo.

Como não havia a UTI para a criança no hospital em que ela estava, a defensora pública Josiane Alves Barros entrou com um pedido na Justiça e conseguiu uma liminar, deferida pelo juiz plantonista Hugo José Freitas, que determinou que o município de Lucas do Rio Verde e o Estado viabilizassem a transferência do menino.

“A maior dificuldade foi conseguir um leito adequado para o caso dele. Em Colíder tinham duas vagas, mas elas não tinham ventilador. Na Santa Casa de Cuiabá também tinha vaga, porém, sem respirador. Houve uma tentativa de empréstimo do ventilador que estava sendo utilizado aqui no Hospital de Lucas, mas não foi possível. Por isso, só na parte da tarde conseguimos a vaga em Várzea Grande. E só 48h depois de entrar no sistema de regulação, ele foi transferido”, relata a defensora.

O garoto foi transferido para Várzea Grande na noite da terça-feira (6). Agora, a preocupação é que a criança seja tratada o quanto antes, devido à gravidade do problema.

“Estamos em contato permanente com a família e recebendo informações que nos permitem acompanhar o caso e o tratamento que está sendo dado”, informou a defensora Josiane.

“Eu estou preocupada porque até agora nenhum médico veio falar nada sobre o estado dele. Veio uma pediatra, fez um monte de perguntas de como tudo aconteceu e disse que ia avaliar o caso a partir dos exames feitos, mas não retornou. O que me alivia é que ele está sendo bem cuidado, está tomando os medicamentos certinhos e que, graças à Defensoria, os jornais locais e outras autoridades, conseguimos essa vaga”, disse a mãe do menino.

(Com informações da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrefeitura abre cadastro para vacinação de caminhoneiros
Próximo artigoPublicitário alérgico a camarão morre após comer comida japonesa