Propostas para construção de escolas

Resultado da tomada de preços de duas unidades estaduais em Cuiabá foi publicado nesta segunda-feira (27)

(Foto: Michel Alvim/Secom-MT)

O resultado da fase de tomadas de preços da licitação para a construção das escolas estaduais Salim Felício e Santos Dumont, em Cuiabá, foi divulgado nesta segunda-feira (27). A divulgação foi feita no Diário Oficial do Estado e uma construtora candidata conseguiu se habilitar nas duas licitações.

A unidade cívico-militar Salim Felício teve duas propostas classificadas: a de R$ 5. 960.029,78, apresentada pela Construtora e Locadora Duarte, e a de R$ 6.738.616,94, feita pela Construtora JL Eirelli.

O novo prédio da escola terá 16 salas de aula, com dependências administrativas, além de laboratório, acessibilidade e uma quadra poliesportiva. A construção será em um terreno próximo do antigo imóvel, localizado no Parque Cuiabá. A Secretaria de Estado de Educação estima que a nova escola estará pronta entre um ano e meio e dois anos após a assinatura do contrato de execução do projeto.

A Construtora e Locadora Duarte foi classificada também na tomada de preços para a construção da escola Santos Dumont, no bairro Dom Aquino. A proposta apresentada para essa unidade foi no valor de R$ 7.703.597,78, o mais alto dentre as três candidaturas.

Também estão na disputa a Construtora São Valentin Ltda, com o menor preço apresentado, de R$ 6.709.930,98, e a JRM Construções Eireli, com a proposta de R$ R$ 7.586.363,05, para a construção de 16 salas, que deverão atender cerca de 1.500 alunos.

A Comissão de Licitação da Seduc informa que os licitantes têm o prazo de cinco dias úteis para interpor recurso, a partir desta terça-feira (28) até o dia 4 de janeiro. Caso seja apresentado algum recurso, o mesmo prazo será concedido para a apresentação das contrarrazões.

LEIA TAMBÉM

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEm três anos, Sema-MT julga mais de 15 mil autos de infração de multas ambientais
Próximo artigoQuais são os setores que mais vão se beneficiar do 5G no Brasil?