Plano Safra: o reconhecimento à importância do agro

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Há muitos anos tenho dito que a agricultura sustenta o Brasil. Mesmo com anos de desgoverno petista, que gerou uma crise econômica gigantesca, quando se analisa a atividade econômica, setor por setor, o agronegócio sempre apresentou resultados positivos.

Em meio à pandemia do novo coronavírus que paralisou o mundo, mais uma vez os produtores de todos os portes se encarregam em manter o nosso país em pé. O reconhecimento deste esforço por parte do governo do presidente Jair Bolsonaro com o lançamento do Plano Safra 2020/2021.

Mesmo com todas as dificuldades orçamentárias causadas pelos desembolsos bilionários a estados e municípios para o enfrentamento da pandemia, o Governo Federal aumentou os recursos aos produtores e reduziu as taxas de juros para as operações de crédito. Só para o crédito rural serão mais de R$ 263 bilhões, R$ 13 bilhões a mais do que no ano passado, demonstração clara e inequívoca de que o presidente acredita que é o campo quem vai manter o Brasil em marcha.

A agricultura familiar e os médios produtores vão ter à disposição R$ 66 bilhões para se modernizarem, para aprimorarem seus métodos de produção. As taxas de juros variam de 2,75% na aquisição de alimentos até 7,5% para o Moderfrota na aquisição de maquinas e equipamentos agrícolas. São taxas que atendem aos anseios destes produtores, que colocam comida nas mesas de milhões de pessoas, que trabalham de sol a sol para assegurar que o alimento não falte e que merecem o apoio do Poder Público.

Tenho a percepção, conversando com pessoas que interagem nas minhas redes sociais, que a pandemia do novo coronavírus fez com que o brasileiro percebesse com mais clareza a importância deste setor. Junto com a possibilidade de suprir a fome de milhões de pessoas, a agricultura é responsável pela preservação do meio ambiente, pelo desenvolvimento de várias regiões do nosso país, por fazer com que a riqueza gerada seja usada por todos. O agronegócio é o alicerce da nossa economia.

Além dos recursos disponibilizados que, com certeza, nos ajudarão a bater mais um recorde de produção, temos trabalhado arduamente no sentido de aprovar projetos que desburocratizem a produção agrícola, que retirem o peso exagerado do Poder Público das costas do produtor, sem que isso signifique qualquer prejuízo para o meio ambiente.

E assim seguiremos. Lutando pela regularização fundiária de milhares de assentados que aguardam ansiosamente pela titulação de suas terras. Trabalhando para que estes mesmos assentados sejam beneficiados pelos programas governamentais e consigam produzir e tirar da terra seu sustento. Batalhando para que a importância da agricultura brasileira, para o país e para o mundo, seja reconhecida por todos.

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Nelson Barbudo é deputado federal.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorComerciante tenta reagir a assalto e é assassinada a tiros em espetaria
Próximo artigoEntidades do comércio acreditam que lockdown pode não surtir efeito contra a covid

O LIVRE ADS