Para que o sonho não vire pesadelo: saiba como não perder dinheiro na hora de construir

Nada de se aventurar, planeje seus passos

Adequar a casa ao novo modelo de trabalho remoto, empregado por algumas empresas durante a pandemia, e ainda oferecer mais conforto para a família são os motivos do aumento da venda de terrenos e materiais para construção em todo o Brasil, inclusive Cuiabá.

O especialista em mercado imobiliário e fundador da StyleBrokers Negócios Imobiliários, Alessandro Miranda, afirma que os terrenos de alto padrão tiveram a valorização de até 20%, principalmente na região dos Florais e Ribeirão do Lipa, onde está sendo construída uma série de comércios e estruturas logísticas de suporte aos empreendimentos.

Paralelo a isso, se vê o aumento crescente das vendas de produtos para materiais de construção. Segundo o Índice Cielo de Varejo Ampliado, apenas em julho, o aumento das vendas chegou a 33%.

Já a Associação Nacional dos Comerciantes de Materiais de Construção (Anamaco) é ainda mais otimista, aponta que o acréscimo no faturamento durante a pandemia chegou a 40%.

Mas, este “boom” nas  vendas está impactando no sonho da família que quer construir uma casa. O preço dos materiais também ganharam um incremento por conta da procura e, para alguns produtos,  a oferta está escassa.

Por este motivo, é necessária a atenção redobrada para que a expectativa em se ter a casa dos sonhos não se transforme em um pesadelo.

“Muitos clientes compraram o terreno e depois nos questionaram: o que faço agora? Vimos que a maior parte não tinha experiência com este tipo de coisa e por isso resolvemos oferecer a eles uma consultoria gratuita para eles, além de formar uma lista de parceiros, que possuem no portfólio obras com excelência em qualidade”, argumenta Alessandro Miranda.

Reunindo a experiência desse serviço de consultoria, o especialista fez um diagnóstico das principais dificuldades de quem quer construir e elencou algumas dicas essenciais para quem tem interesse em iniciar do zero a edificação de um lar.

A escolha do terreno

Condomínios de alto padrão tiveram valorização de 20% durante a pandemia (Foto: Suellen Pessetto/ O Livre)

O mercado oferece vários tipos de terrenos e a escolha da área deve ter relação com o bolso do cliente, bem como segurança e comodidade. Miranda lembra que na região do Coxipó estão sendo abertos várias opções mais populares, enquanto na região do Florais e Ribeirão do Lipa, o forte são os imóveis de alto padrão.

Segurança na compra

O principal ponto abordado pelo especialista é o documental. Ele recomenda que a pessoa procure uma imobiliária ou profissional credenciado ao Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci).

Isso evitará problemas futuros como os vícios documentais. Um corretor habilitado saberá informar a exata situação do imóvel para que depois não haja dor de cabeça na hora de escriturar ou até mesmo descobrir, depois do negócio feito, que a área está em um processo de litígio na Justiça.

Tenha o projeto materializado

Sabe aquela coisa de ter o projeto na cabeça. Isto não funciona e sempre resulta em prejuízos e várias alterações no decorrer do processo. No caso das construções em condomínios de alto padrão, sem um projeto arquitetônico aprovado, o proprietário sequer é autorizado a iniciar a construção.

Miranda adverte que a escolha de um profissional adequado fará toda a diferença. Ele vai materializar a necessidade da família, além de contemplar todas as instalações elétrica e hidráulicas  ideais, podendo até estabelecer a expectativa de ampliação.

De olho no orçamento

Profissionais qualificados sabem como evitar o desperdício sem perder a qualidade(Foto: Suellen Pessetto/ O Livre)

Com o projeto em mão, é possível se fazer uma planilha de custos muito próxima dos gastos. Assim, não corre o risco das despesas saírem completamente do eixo e resultarem na paralisação da obra, o que significaria uma frustração.

Também facilita na busca por financiamentos. A consultoria oferecida pela StyleBrokers costuma contribuir neste processo por ter conhecimento das linhas disponíveis e parceria com algumas entidades financeiras.

Hoje, explica Miranda, se a pessoa tiver 20% do valor da obra, pode conseguir o financiamento para o resto e, assim, pagar aos poucos e até adiantar o projeto.

Como não ter dor de cabeça com a mão de obra?

Contratar uma construtora pode evitar problemas e dores de cabeça no futuro (Foto: Suellen Pessetto/ O Livre)

A resposta é simples: contratar uma construtora. É lógico que a empresa vai inserir no valor total da obra o serviço dela, porém irá lhe salvar de uma série de contratempos e atrasos, que podem render prejuízos.

Miranda argumenta que as empresas já possuem uma rede de prestadores de serviço habilitados. Assim, não corre o risco de um profissional abandonar a obra e caso ele faça isso, não é problema do contratante, no caso você.

Sem contar que possuem um grupo de especialistas que sabem cobrar a qualidade ideal e ainda identificar falhas que poderão lhe causar dano no futuro. Sem contar que a obra passa a ter garantia.

Outra vantagem é com relação as leis trabalhistas. A empresa que se responsabiliza por este quesito e quando acontece algum acidente com o funcionário, também está preparada e tem a obrigação de assumir as responsabilidades cabíveis.

“E tem o fato da pessoa estar diuturnamente na obra. Normalmente, quem vai construir precisa trabalhar e tem outras atividades. Nem sempre consegue fazer o trabalho de estar conferindo o passo a passo e muitos vício de obra passam batidos pela falta de expertise”, explica Miranda.

Concretizando o sonho

Agora, de posse dessas dicas, resta aos interessados se prepararem e começarem a realizar o sonho da casa singular, aquela que será feita exclusivamente para sua família.

 

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCursos gratuitos
Próximo artigoAbílio lidera na pesquisa Ibope