Mulher é torturada por quase 24 horas pelo ex-marido, na frente dos sogros

Vítima teve rosto deformado; sogros assistiram sessões de tortura e nada fizeram

Foto: Tangará em Foco

Uma mulher de 38 anos viveu quase 24 horas de puro terror durante sessões de espancamento e tortura entre esse domingo (2) e a madrugada dessa segunda-feira (3).

As agressões foram feitas pelo ex-marido dela, de 29 anos, e assistidas pelos ex-sogros da vítima, de 39 e 55. Tudo aconteceu na casa dos suspeitos, no Bairro Jardim Olímpico, em Tangará da Serra (250 km de Cuiabá)

Já na madrugada dessa segunda-feira, ela conseguiu fugir e foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros, que a encaminhou para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) imediatamente; afinal, ela estava com muitas lesões, chegando a estar com o rosto deformado.

A Polícia Militar foi acionada na unidade médica e ouviu a vítima. Ela contou que, no domingo (2), sofreu várias agressões do ex-marido na casa dos ex-sogros, como chutes, socos e torturas feitas com fios de energia.

As agressões tiveram início por volta das 9 horas da manhã e a mãe e o padrasto do suspeito viram tudo e não fizeram nada para cessar o espancamento, que durou o dia todo e parte da noite.

Somente quando o ex-marido dormiu, já na madrugada dessa segunda-feira, a vítima conseguiu fugir correndo e pedir socorro.

A polícia saiu em busca do suspeito, mas não o encontrou.

A mulher ficou muito machucada, com lesões em todo o corpo. Os policiais que atenderam o caso descreveram no boletim de ocorrência que o rosto dela estava deformado, a testa tinha um corte profundo causado nas diversas vezes em que ela foi lançada na parede e o corpo todo tinha escoriações.

Mais tarde, uma nova equipe da PM foi ouvir a vítima, quando ela já estava em condições de dar mais informações sobre o local onde as agressões e torturas aconteceram.

Afogamento em tanque

Ela contou, então, que a mãe e o padrasto do ex-marido viram também o suspeito a afogando em um tanque como forma de tortura, batendo a cabeça dela na parede e queimando seus documentos.

Que ela implorava para que lhe ajudassem e prestassem socorro, ou ao menos a deixassem fugir e a deixassem pegar sua bicicleta, mas eles se negaram a ajudar.

Com essa denúncia da vítima, os dois foram presos por omissão de socorro, apropriação indébita, omitir-se em face de condutas de tortura, e ainda como cúmplices de sequestro e cárcere privado e “tortura, submetendo alguém sob sua guarda, poder ou autoridade, com emprego de violência ou grave ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental, como forma de aplicar castigo pessoal ou medida de caráter preventivo”.

Os policiais foram até a casa, encontraram o casal e os dois foram encaminhados para a delegacia. O filho, quando encontrado, ainda será indiciado por tentativa de homicídio doloso.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Tem que fazer o mesmo com os tres, esta mulher não tem familia que possa defender ela. Se um cabra deste faz uma coisa desta com minha irmã, não precisa chamar policia não. Olho por olho, dente por dente.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRisco em Cuiabá diminui
Próximo artigoMP quer que escolas particulares suspendam reajuste e reduzam as mensalidades