Mulher é espancada pelo marido na frente da filha e com apoio da sogra: “merece apanhar”

À polícia, a sogra disse que a nora gostava de apanhar e que não era a favor do casamento do filho

Imagem ilustrativa (Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma jovem de 19 anos foi socorrida pela Polícia Militar nessa quinta-feira (9) após ser espancada pelo marido, também de 19 anos, dentro da quitinete onde os dois moram, no Bairro 1º de Março, em Cuiabá.

A Polícia Militar foi acionada por vizinhos, que ouviram os gritos de socorro da jovem, que estava sem mantida em cárcere privado pelo rapaz desde o dia anterior.

Uma equipe da PM foi até o local e encontrou a vítima com a filha. Ela contou que começou a ser agredida na noite na quarta-feira (8), na frente da filha do casal, de três anos.

O marido ainda tomou o celular dela e, por isso, ela não conseguiu pedir ajuda à polícia.

Nessa quinta-feira, porém, a violência ficou ainda pior e a jovem foi agredida com socos, chutes e pancadas com cabo de vassoura. O homem chegou a pegar a filha pelos braços e a jogá-la no chão.

“Apoio” da sogra

Em meio às agressões, a mãe do acusado foi até a quitinete e, ao invés de impedir a violência, disse ao filho que a nora merecia apanhar e que ela poderia acionar a Polícia Militar, que nada aconteceria ao filho.

Os policiais foram até a casa da sogra e foram recebidos pelo irmão e o padrasto do suspeito, que disseram que o acusado esteve no local, mas já não estava mais, que ele era usuário de drogas e que sempre agredia a esposa na frente da filha.

Eles indicaram onde a mãe do suspeito trabalha e os militares foram até o mercado. Ao conversar com a sogra, esta disse que a nora “gosta de apanhar” e que os policiais a estavam envergonhando em seu trabalho por causa de duas pessoas que sempre brigam.

Ela disse, ainda, que nunca agrediu a nora e que não é a favor do casamento do filho, mas que, em alguns momentos, não concordava com as atitudes dele.

“Influência na PM”

A mulher ainda ameaçou os policiais dizendo que ligaria para um coronel da Polícia Militar com quem tem influência para denunciar os militares que estavam atendendo a ocorrência.

Como o suspeito não foi encontrado, somente a vítima foi encaminhada para a Central de Flagrantes de Cuiabá para o registro da ocorrência. Ela estava com machucados pelo corpo.

O caso foi registrado como lesão corporal, ameaça e injúria real.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrefeito diz que Cuiabá está “sobrecarregada” por falta de estrutura no interior
Próximo artigoAlunos de escolas estaduais de MT terão aulas online a partir de 3 de agosto