Ministro do STF censura revista e site

Alexandre de Moraes determina que revista Crusoé e O Antagonista retirem matéria do ar

Por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, a revista Crusoé está sob censura desde  a manhã desta segunda-feira (15).

Segundo  informações do “O Antagonista”, pouco depois das 11 horas um oficial de Justiça bateu à porta da redação para entregar uma cópia da decisão.

O ministro determinou que Crusoé retirasse – imediatamente – do ar a reportagem que foi capa na  última edição, cujo título  é  “O amigo do amigo de meu pai”. A decisão se estende para  o portal  O Antagonista.

Na mesma decisão Alexandre de Moraes ordena que a Polícia Federal intime os jornalistas responsáveis pela  publicação da reportagem para prestem depoimento dentro de 72 horas.

Para  o ministro, houve “claro abuso no conteúdo da matéria veiculada”.

Conforme os veículos, a matéria que trata de uma decisão do próprio Alexandre de Moraes, foi publicada  com base em um documento que consta dos autos da Operação Lava Jato.

Nele, o empreiteiro Marcelo Odebrecht responde a um pedido de esclarecimento feito pela Polícia Federal, que queria saber a identidade de um personagem que ele cita em um e-mail como “amigo do amigo de meu pai”.

Odebrecht respondeu tratar-se de Dias Tóffoli, conforme revelou Crusoé em sua edição de número 50, publicada na última sexta-feira (12).

No despacho de três páginas, Alexandre de Moraes primeiro menciona o inquérito aberto por Toffoli em março, e dentro do qual a decisão foi tomada: “Trata-se de inquérito instaurado pela Portaria GP No 69, de 14 de março de 2019, do Excelentíssimo Senhor Ministro Presidente, nos termos do art. 43 do Regimento Interno desta CORTE, para o qual fui designado para condução, considerando a existência de notícias fraudulentas (fake news), denunciações caluniosas, ameaças, (…)  que atingem a honorabilidade e a segurança do SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, de seus membros e familiares, extrapolando a liberdade de expressão”.

[featured_paragraph]Ainda segundo  o despacho, Alexandre  de Moraes afirma que ainda na sexta-feira, dia da publicação da reportagem, Dias Toffoli “autorizou” a investigação sobre a reportagem. O ministro reproduz a mensagem que recebeu de Toffoli: [/featured_paragraph]

“Exmo Sr Ministro Alexandre de Moraes, Permita-me o uso desse meio para uma formalização, haja vista estar fora do Brasil. Diante de mentiras e ataques e da nota ora divulgada pela PGR que encaminho abaixo, requeiro a V. Exa. Autorizando transformar em termo esta mensagem, adevida apuração das mentiras recém divulgadas por pessoas e sites ignóbeis que querem atingir as instituições brasileiras.”

No pedido, o  ministro determina que tanto  o site  O Antagonista quanto a revista Crusoé retirem, imediatamente, dos respectivos ambientes virtuais a matéria intitulada “O amigo do amigo de meu pai” e todas as postagens subsequentes que tratem sobre o assunto, sob pena de multa diária de R$ 100.000,00 (cem mil reais), cujo prazo será contado a partir da intimação dos responsáveis.

Confira a matéria sobre o caso na íntegra aqui. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. EU ACHEI OTIMO A CENSURA A CRUSOE FEITA PELOS FACTOIDES-NAZISTAS DO STF POR ESTA PORCARIA DE REVISTA TER APOIADO O GOLPE CONTRA A DILMA , E POUCO CANALHAS DA CRUSOE . COM O FOGO FERE COM O MESMO FOGO SERA FERIDO . SEUS VAGABUNDOS FASCISTAS DA CRUSUOE !!!!!!! KKKKKKKKKKKKKK, TOMEM AI CANALHAS !!!!!!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMinistros discutem no Planalto política de preços de combustíveis
Próximo artigoVídeo: incêndio atinge Catedral de Notre-Dame em Paris