Jovem que estava desaparecida é encontrada enterrada na chácara do suspeito de tê-la assassinado

Ela saiu do trabalho com o suspeito dizendo que voltava logo, mas nunca mais foi vista

Laura Batista de Souza estava desaparecida há 10 dias (Foto: arquivo pessoal)

Uma jovem de 28 anos, identificada como Laura Batista de Souza, foi encontrada morta e enterrada, nessa sexta-feira (11), na chácara do homem suspeito de tê-la matado, uma propriedade rural em Santa Cruz do Xingu (1.245 km de Cuiabá).

Desaparecimento

Laura havia sido vista com vida pela última vez no dia 2 de setembro, por seus patrões, que registraram um boletim de ocorrência relatando o desaparecimento da jovem.

Segundo os patrões, Laura era uma das três funcionárias de um bar e no dia 2 de setembro, por volta das 2 horas da madrugada, saiu acompanhada de um jovem de 19 anos, que eles souberam informar nome e sobrenome, em uma motocicleta.

A jovem não disse onde iria, mas comunicou que logo voltaria, tanto que nem mesmo levou o celular. Porém, 24 horas depois, ela não voltou e os patrões procuraram a polícia.

Ainda segundo os patrões, poucos dias antes do desaparecimento, Laura havia sido ameaçada pela dona de outro bar, que disse que iria “quebrar ela”.

A jovem não tinha família na cidade que estava morando, Santa Cruz do Xingu, mas assim que os familiares foram informados do desaparecimento, fizeram campanha para encontrá-la.

Encontro

Com a campanha, a família recebeu uma informação anônima que na chácara do jovem que havia saído com Laura no dia do desaparecimento havia um buraco suspeito.

Eles passaram essa informação à polícia e uma equipe da Polícia Militar foi até o local com uma pá e uma cavadeira.

Na chácara, os policiais encontraram um buraco que parecia uma cisterna, porém, a terra no local estava mexida, então os policiais começaram a cavar.

Rapidamente foi encontrada uma mão humana e a escavação foi parada. O local foi isolado e a Polícia Judiciária Civil e a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) foram acionadas para dar início às investigações.

O caso foi registrado como encontro de cadáver e, até o registro da ocorrência, o suspeito ainda não havia sido encontrado.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCrime ambiental: Polícia Civil investiga responsáveis pelos incêndios no Pantanal
Próximo artigoMais mulheres mortas: número de feminicídio cresce 40%