Jovem muda de estado para viver relacionamento, descobre ter sido enganada e pede ajuda à polícia

Ela acreditava que fariam um documento de união estável, mas depois passou a desconfiar de que o namorado, professor universitário, queria usá-la

Imagem ilustrativa (Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma jovem de 27 anos pediu ajuda à polícia nessa quarta-feira (27) após perceber que estava vivendo uma mentira. Ela afirmou ter saído do Rio de Janeiro para Cuiabá para viver um relacionamento amoroso, mas que após um mês em meio na capital mato-grossense descobriu que havia sido enganada.

Segundo relato da vítima, ela saiu do Rio de Janeiro a convite de um professor universitário de 42 anos em março de 2020, para darem início a uma relação em Cuiabá.

Na Capital de Mato Grosso, passaram a morar na mesma casa, porém, duas semanas após sua chegada, a quarentena começou e ela não conseguiu conhecer a cidade, nem pôde sair sozinha.

Um mês e meio após o início da relação, ela começou a desconfiar de que havia sido enganada, pois o namorado parecia mentir para ela em várias situações, prometendo coisas que não cumpria.

“Gastos com futilidades”

Um exemplo foi que ele disse que os dois fariam um documento de união estável e que a ajudaria a conseguir um emprego, mas poucos dias depois começou a somente reclamar de que ela estava gastando muito com futilidades.

Ela contou que os filhos dele iam duas vezes por semana, por apenas algumas horas, à casa, em visitas supervisionadas. Mas ela ouviu o namorado no telefone com a mãe, dizendo que precisava que ela saísse de Curitiba para Cuiabá, pois precisava de alguém na casa.

Segundo a jovem, o homem disse à mãe que a advogada o havia orientado a dizer que a namorada iria apenas em uma viagem, mas que estavam juntos.

A partir disso, a jovem passou a acreditar que o suspeito pediu para ela sair do Rio de Janeiro para morar com ele somente para conseguir voltar a ter a guarda dos filhos e, com isso, a enganou.

Nessa terça-feira (27), os dois tiveram uma discussão, conforme relato da jovem, porque o homem se recusou a comprar alimento.

Cansada de toda a situação, ele acionou a polícia pedindo ajuda para sair da casa e ir para um abrigo seguro.

Na tarde dessa quarta-feira (27), ela foi resgatada, um boletim de ocorrência por “constrangimento ilegal” foi registrado e ela foi encaminhada para uma casa de amparo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBolsonaro sanciona lei de auxílio financeiro a estados e municípios e proíbe aumento dos servidores
Próximo artigoO governo precisa fazer sua parte, diz Emanuel Pinheiro

O LIVRE ADS