Jovem é sequestrada dentro de condomínio, feita refém e estuprada por dois dias

Ela teve os cabelos cortados e ficou dois dias sob cárcere privado e sendo violentada sexualmente

Imagem ilustrativa (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Uma jovem de 25 anos viveu dias de terror dentro de sua própria casa, em um residencial no Bairro Vila Birigui, em Rondonópolis (220 km de Cuiabá), após ser sequestrada quando saía para trabalhar, ser mantida em cárcere privado e ser estuprada por dois dias.

Segundo relato da vítima, por volta das 8 horas da quinta-feira (4) ela estava saindo de casa para ir para o trabalho quando um homem que ela não conhece a abordou no momento em que ela iria abrir o portão.

O homem a levou para a casa dela e, logo depois, um vizinho dela chegou, ficando os dois homens com ela na casa até essa sexta-feira (5), por volta das 19 horas, quando ela conseguiu fugir correndo.

Tortura e terror

Durante o período em que ficou em cárcere, a vítima foi amarrada e teve os olhos tapados com uma venda. Os suspeitos ainda cortaram o cabelo dela e a estupraram várias vezes.

Eles também a obrigaram a passar as senhas dos cartões de banco, do email e do celular dela. A todo tempo, eles falavam com uma terceira pessoa pelo celular, dando os dados bancários dela.

Para que a família e os colegas de trabalho da vítima não desconfiassem, eles mantiveram contato conversando por mensagens, como se nada estivesse acontecendo e dizendo que ela estava somente indisposta, com dor de cabeça e com mal estar.

Fuga

Ainda assim, a irmã da vítima desconfiou da situação, visto que os colegas de trabalho informaram que ela já estava faltando há dois dias.

A irmã foi até a casa e os suspeitos obrigaram a vítima a pedir que a irmã voltasse outro dia. A irmã, no entanto, insistiu. Ao perceber que a irmã não iria embora, os suspeitos falaram para a vítima deixar ela e o sobrinho, de seis anos, entrarem.

Quando a porta foi destrancada, a vítima empurrou a porta e saiu correndo com a irmã e o sobrinho, deixando os suspeitos na casa.

Ela acionou a polícia e contou que o vizinho era um dos homens que a estava mantendo refém e que ele estava a todo momento com um capuz, mas ela o reconheceu pela voz e pelos pés, pois ele vivia a aliciando. Ele, inclusive, já havia oferecido um emprego para ela caso ficasse com ele.

Prisão

A polícia foi até a casa do suspeito e ele foi encontrado dentro da residência.

A vítima foi atendida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada para a Santa Casa de Rondonópolis para receber socorro médico.

Depois do atendimento, ela e a irmã foram encaminhadas para a delegacia, para serem ouvidas.

O caso foi registrado como estupro, sequestro e cárcere privado, lesão corporal, roubo e ameaça.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEmanuel pede para Gilmar Mendes julgar toque de recolher em MT
Próximo artigoConfira as respostas às dúvidas mais frequentes sobre a vacinação