Governador anuncia concurso para a segurança pública em MT

Vagas são para Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec)

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Governo de Mato Grosso realizará concurso na área da segurança pública. O anúncio foi feito pelo governador Mauro Mendes (DEM), durante vistoria e entrega de obras em Lucas do Rio Verde, nesta sexta-feira (6).

As vagas são para Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec). A abertura do edital está prevista para este semestre.

”Nós temos hoje uma grande necessidade que é a falta de pessoal na segurança pública do Estado. Tínhamos limitações. Por questões orçamentárias, não podíamos contratar para não aumentar despesa com pessoal. Mas, graças a Deus e a todo o trabalho que foi feito, nós construímos novamente o equilíbrio fiscal de Mato Grosso. E a boa notícia é que no segundo semestre deste ano nós vamos soltar um novo concurso”, ele afirmou.

Mendes também assumiu o compromisso de entregar até setembro, unidades do Batalhão Rural, vocacionadas exclusivamente para fazer a segurança em toda a região de campo, agronegócio e agricultura familiar.

De acordo com o secretário estadual de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, este concurso foi pensado e planejado com cautela, pois já estão em andamento o concurso do sistema prisional e do socioeducativo, que vão otimizar a atuação das forças de segurança no Estado.

“Nós tínhamos um planejamento, primeiro de organizar e melhorar os equipamentos, viaturas, armamento. Agora estamos mexendo na infraestrutura e, o último passo, é a realização do concurso público”, destacou o secretário.

“O concurso reflete positivamente e vai melhorar o efetivo em regiões com déficit de profissionais”, salientou o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Jonildo de Assis.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“O presidente não está errado em levantar o assunto”, diz Emanuel Pinheiro sobre o voto auditável
Próximo artigoOperação Terra Envenenada: vereador é solto e nega envolvimento em esquema