GCCO prende sete por envolvimento em furto de caixas eletrônicos

Alguns foram encontrados lavando as notas para tentar tirar a tinta vermelha do mecanismo de segurança do banco

Materiais apreendidos na operação. Foto: PJC

A Polícia Judiciária Civil prendeu, menos de 24 horas após o crime, sete suspeitos do furto de caixas eletrônicos da agência do Banco do Brasil do Bairro CPA II, em Cuiabá, ocorrido na madrugada dessa segunda-feira (2).

As prisões foram efetuadas pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), na tarde dessa segunda-feira (02), no Bairro Residencial Jardim Buriti, em Cuiabá.

Quatro dos suspeitos foram autuados por crimes de furto qualificado mediante utilização de explosivo e associação criminosa. Outro dois foram detidos com drogas e arma e autuados por tráfico de drogas.

Com um dos suspeitos do furto ao banco foi encontrado R$ 3 mil em dinheiro, valor que ele recebeu pela sua participação no crime.

Logo após essa abordagem, policiais da GCCO descobriram que o dinheiro furtado estaria em uma residência no Bairro Santa Amália, onde outros criminosos tentavam limpar as cédulas manchadas com tinta vermelha em virtude da explosão.

Ao chegarem na casa, os policiais encontraram dois suspeitos, pai e filho. Eles estavam exercendo a tarefa de limpeza das notas, sendo ambos conduzidos para a GCCO, onde os demais já estavam. Na residência havia vários locais com resíduos da tintura vermelha que estava nas cédulas. No entanto, não foram encontradas evidências de que o pai do suspeito está envolvido nos crimes.

Na sequência, os policiais seguiram para uma residência no Bairro Santa Inês, onde havia a suspeita de ter pessoas que estavam auxiliando os ladrões na ação criminosa. Nesse local, dois homens foram detidos e com eles apreendidos várias trouxinhas de droga, uma arma de fogo do tipo revólver e apetrechos para o preparo da droga para a venda.

Conforme o delegado Flávio Stringueta, havia informações de que uma das motocicletas utilizadas durante a ação criminosa estava sendo guardada  na casa, mas foi retirada antes da chegada dos policiais.

As cédulas que estavam sendo limpadas pelos criminosos não foram localizadas, porém, os policiais apreenderam várias notas no local do fato, deixadas pelos criminosos quando fugiram. O valor ainda está sendo contabilizado.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrefeitura derruba muro particular que impedia acesso a via pública
Próximo artigoProcuradoria denuncia coronel reformado que ameaçou ministros em vídeo