Ex-ministro Weintraub é inocentado de denúncias de racismo

De acordo com a procuradora Melina Flores, o ex-ministro da Educação não incitou nenhum tipo de preconceito

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O Ministério Público Federal (MPF) decidiu arquivar o inquérito aberto para apurar se o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub cometeu crime de racismo. De acordo com a acusação, Weintraub teria cometido “crime de racismo contra os chineses”.

No início da pandemia, Weintraub disse que a China poderia vir a se beneficiar da crise sanitária causada pela pandemia do novo coronavírus, uma vez que seria o país que fabricaria testes, respiradores e demais insumos para o enfrentamento da doença.

A decisão foi tomada na esteira do relatório de investigação da Polícia Federal, que concluiu as apurações no fim de 2020 e decidiu não indiciar o ex-ministro, hoje presidente do Banco Mundial.

Na avaliação da procuradora Melina Flores, que pediu o arquivamento do processo, a manifestação de Weintraub não tinha o objetivo de incentivar o preconceito, mas apenas fazer pontuações sobre geopolítica.

“Essa postagem, por si só, não trouxe uma demonstração clara do ânimo racista e da iminência do risco social de racismo que a opinião deveria gerar”, escreveu a promotora.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO lado da Prefeitura
Próximo artigoEstado aciona Justiça para que Prefeitura de Cuiabá desbloqueie leitos de UTI para covid