Educação polarizada?

Reitora da UFMT, diz que governo compra discurso de "nós contra eles"

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Na semana em que a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) ficou no escuro por conta do atraso no pagamento de seis faturas de consumo de energia elétrica, o Ministério da Educação (MEC) anunciou o programa “Future-se”, que pretende captar recursos da iniciativa privada para as instituições de ensino públicas.

Reitora da UFMT, Myriam Serra evitou se estender demais na análise sobre o programa, mas reclamou do discurso do ministro Abraham Weintraub. Conforme ela, a impressão que se passou foi a de a “gestão antiga é incompetente” e a “gestão nova proposta é competente”.

Ainda segundo Myriam Serra, em algum momento o MEC teria colocado que “com esse novo modelo futuro não terá corte de energia”. Uma declaração que, na avaliação dela é “bastante grave e forte”.

“Precisamos ter a compreensão de que, mesmo com todas as diferenças, esse discurso binário, de nós contra eles e deles contra nós, nesse momento, está desfavorecendo a gestão”, ela lamentou.

LEIA TAMBÉM

Burocracia impediu o pagamento de conta de luz a tempo, diz reitora da UFMT

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCircuito nacional de arte leva circo e ritmo do ‘passinho’ para Poconé
Próximo artigo“Hippies” agora são Malucos da Estrada; conheça os tipos

O LIVRE ADS