Dinheiro para auxílio a micro e pequenos empresários se esgota em 24 horas

Situação ocorreu no Banco do Brasil, depois que o Ministério da Economia aumentou o recurso em mais de R$ 1 bilhão

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Poucas horas depois de ter o orçamento ampliado, o Banco do Brasil emprestou integralmente os R$ 4,98 bilhões das linhas de crédito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), que ajuda micro e pequenas empresas afetadas pela pandemia do novo coronavírus.

Nesta quinta-feira (9) à noite, o Ministério da Economia elevou em R$ 1,24 bilhão o montante que a instituição poderia emprestar.

De acordo com o Banco do Brasil, foram cerca de 20 mil contratos em apenas 24 horas.

A autorização da ampliação dos recursos do Pronampe veio dois dias depois que o Banco do Brasil havia emprestado totalmente o limite anterior, de R$ 3,74 bilhões.

Até agora, cerca de 80 mil pequenos negócios foram beneficiados. Os empréstimos podem chegar ao máximo de 30% do faturamento do ano anterior da micro ou pequena empresa que pede o recurso.

As linhas do Pronampe têm prazo de 36 meses, com oito meses de carência para o pagamento da primeira parcela. Os juros máximos são equivalentes à taxa Selic (juros básicos da economia) mais 1,25% ao ano.

Com a Selic em 2,25% ao ano, a taxa máxima soma 3,5% ao ano.

O Pronampe tem 85% de garantia do Fundo Garantidor de Operações (FGO), que cobre até 85% de eventuais calotes. Nos financiamentos do Banco do Brasil, os 15% restantes ficam a cargo da instituição financeira.

A Caixa Econômica Federal também tem disponíveis R$ 4,24 bilhões para emprestar por meio do programa.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJovem agride a namorada adolescente por ser chamado de corno
Próximo artigoMais UTIs