Defesa Civil descobre o que inundou porão de prédio em Cuiabá

Com a inundação, prédio do banco Santander precisou ser evacuado

(Foto: Davi Valle/Prefeitura de Cuiabá)

A Defesa Civil de Cuiabá informou que foi detectado o problema que ocasionou o alagamento no subsolo de um edifício localizado na Rua Barão de Melgaço, na área central da Capital. Segundo informações dos técnicos, a inundação foi provocada por uma mina que já existia no local antes da construção do prédio.

O diretor da Defesa Civil de Cuiabá, José Pedro Zanetti, explicou que com o fechamento do prédio há cerca de dois anos, o fornecimento de energia foi suspenso e a bomba que funcionava no local foi desligada automaticamente.

“Após uma vistoria minuciosa por parte dos técnicos da concessionaria, a empresa Águas Cuiabá, de um técnico do Itaú e da Defesa Civil, foi constado que não há mais problema. A bomba está funcionando normalmente”, explicou José Pedro Zanetti.

Na tarde desta segunda-feira (20) a Defesa Civil interditou o local e evacuou o prédio do banco Santander, após constatar a inundação no subsolo, no prédio vizinho.

Hoje pela manhã, técnicos da Águas Cuiabá realizaram testes na água que se encontrava no subsolo do prédio fechado e não foi constata a presença de cloro ou flúor significando que não se trata de água tratada.

Um laudo que será emitido ainda nesta terça-feira (21) pelo técnico do Itaú, permitirá seja solicitada a religação da energia nos dois prédios e a liberação da interdição por parte da Defesa Civil.

Nas vistorias realizadas pela concessionária de água, foi constato um vazamento de pequeno porte – não relacionado à inundação do subsolo do prédio -, na altura da Rua Comandante Costa, já reparado. A empresa informou que o abastecimento de água tratada na região central da cidade segue normal.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHomem é preso em flagrante depois de tentar incendiar casa da ex-mulher
Próximo artigoQuase metade dos brasileiros têm contas atrasadas