Cobre e zinco e sua relação com a covid19

(Foto: Adam Nieścioruk on Unsplash)

Tem sido cada vez mais comum o surgimento de artigos falando sobre a relação da COVID-19 com deficiência de vitamina D, mas a questão é: somente a vitamina D? Será que mesmo com uma alimentação ruim suplementar esta vitamina se torna eficiente?

É preciso que todos saibam que, quando se trata de sistema imune, não podemos considerar apenas um nutriente ou vitamina. A qualidade do alimento que você come será fator determinante para seu desempenho e bom funcionamento. Ou seja, uma boa alimentação será a garantia para que as células de defesa atuem de forma eficiente.

Na série branca de um hemograma (leucograma) estão relacionadas todas as células responsáveis por fazer a defesa do nosso sistema imunológico: os neutrófilos, eosinófilos, basófilos, linfócitos e monócitos.

E todas estas células dependem dos micronutrientes. Na lista, podemos encontrar uma grande variedade de vitaminas, como A, C, D, E, K e do complexo B. Além dos minerais como fósforo, cálcio, ferro, potássio e zinco.

Maturação das células de defesa

Quando nosso organismo está com baixos níveis de zinco e cobre, ficamos mais susceptíveis a desenvolver infecções, por isso a importância de uma alimentação saudável e a atenção em todas as vitaminas e minerais, não somente a vitamina D.

Além disso, todas essas células da série branca armazenam também armazenam vitamina C e uma alimentação com carotenoides (luteína, mixol e zeaxantina) também se tornam importantes para maturação destas células de defesa.

Observe que, se o indivíduo tem níveis baixos de zinco e cobre, consequentemente terá queda nos níveis de vitamina C e, quando contrair uma gripe, as pessoas só buscam a vitamina C, fazendo apenas a tratativa da queixa e deixando de investigar a origem do problema, a causa.

Nutrição e covid

O estado ideal de nutrientes específicos é considerado crucial para manter os componentes imunológicos dentro de sua atividade normal, ajudando a evitar e superar infecções.

O estudo “Current State of Evidence: Influence of Nutritional and Nutrigenetic Factors on Immunity in the COVID-19 Pandemic Framework” relata pela sociedade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) aferiu e considera seis vitaminas (D, A, C, Folato, B 6 , B 12) e quatro minerais (zinco, ferro, cobre e selênio) por serem essenciais para o funcionamento normal do sistema imunológico.

Neste relatório, foi realizada uma atualização sobre as evidências da contribuição dos fatores nutricionais como aspectos de reforço imunológico, fatores que poderiam reduzir sua biodisponibilidade e o papel do estado ideal desses nutrientes no contexto pandêmico de covid-19.

::::::::::::::::::::::::::::::

Anderson Melo é nutricionista clínico e esportivo

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorApoio de Gisela Simona pode definir o vencedor do segundo turno em Cuiabá?
Próximo artigo2º turno: DEM apoia Abílio Junior na disputa pela Prefeitura de Cuiabá