Cine Teatro exibe histórias da boate ‘Sayonara’ e formação da primeira capital de MT

Os documentários têm direção de Bárbara Fontes, cineasta que conduz a sessão “Realizadores de MT” nesta terça-feira (21)

Na sessão Realizadores de Mato Grosso, desta terça-feira, serão exibidos dois filmes dirigidos pela documentarista Bárbara Fontes. “Sayonara (2008, 20’)” e “Vila Bela: terra de colores (2005, 55’)” retrata, respectivamente, sobre a formação de um dos históricos redutos boêmios de Cuiabá e da formação da primeira capital do Estado.

Será às 19h30, no Cine Teatro Cuiabá; os ingressos custam R$ 4 e R$ 2 (meia). As exibições dos filmes produzidos de forma colaborativa e independente, datadas do início dos anos 2000, serão seguidas de um bate-papo com a realizadora.

Premiado pelo programa nacional de fomento ao Cinema Documentário, o DOCTV (2º Edição), “Vila Bela: terra de colores” tornou Bárbara Fontes a primeira mulher de Mato Grosso a vencer o concurso. O filme entrelaça quatro histórias sobre a primeira capital de Mato Grosso, Vila Bela da Santíssima Trindade – da sua idealização em Portugal até os dias atuais.

“Vila Bela: terra de colores” é resultado de anos de pesquisa histórica realizada em Mato Grosso, no Rio de Janeiro e acervos em Portugal.

Foto: Reprodução/Sayonara

“Sayonara”, por sua vez, resgata as memórias da lendária casa de shows de Cuiabá –  a mais famosa do Centro-Oeste durante décadas. Artistas consagrados como Ângela Maria e, à época iniciantes, como Roberto Carlos e a geração Jovem Guarda, passaram pelos palcos.

O documentário é fruto do curso “Cinema Documentário: da teoria à prática”, ministrado pela cineasta em parceria com a UFMT, por meio da Escola de Artes, do Cineclube Coxiponés e da TV Universidade. “Sayonara” já circulou em festivais, mostras de cinemas e de sessões especiais no Brasil e no exterior.

A diretora

Bárbara Fontes é jornalista, roteirista, produtora, fotógrafa, poetisa e editora do blogdabarbarafontes.com. Em 25 anos de carreira, trabalhou em mais de 60 obras audiovisuais, seja como diretora, roteirista, produtora, co-produtora ou como consultora.

Além dos documentários exibidos, estão entre suas principais “Arne Sucksdorff: uma vida documentando a vida” e “Canção Mato-Grossense (Hino de Mato Grosso)”. Em 2017, dirigiu o vídeo-poema “A Mangueira”, que fez parte da exposição de arte “Natureza: Substantivo Feminino”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSuspeito de tentativa de homicídio é preso ao dar entrevista para TV
Próximo artigoSeplag herda bens