Arcanjo sob escolta

Bicheiro deve prestar depoimento sobre esquema de desvio na ALMT

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

A juíza Ana Cristina Silva Mendes, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, negou um pedido do advogado Zaid Arbid, que patrocina a defesa do bicheiro João Arcanjo Ribeiro, para que o cliente seja dispensado de comparecer em três audiências da Operação Arca de Noé, agendadas para a tarde desta quarta-feira (31).

Conforme a magistrada, a justificativa para o pedido é a de que Arcanjo encontra-se preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), alvo da Operação Mantus, deflagrada em 29 de maio para combater o jogo do bicho em Mato Grosso.

Na avaliação da juíza, o fato de estar preso não impede o bicheiro de participar da audiência. Ela destacou o princípio da ampla defesa e ser “recomendável a presença do réu em audiência” e, assim, determinou que a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) faça a escolta do empresário.

Antes, o advogado também tinha pedido a mudança de data da audiência, mas teve o pedido negado. A juíza considerou que a defesa de Arcanjo não apresentou justificativa para o pedido, nem documentos que comprovem a impossibilidade do advogado de comparecer ao ato. As decisões são de terça-feira (30).

As ações da Operação Arca de Noé, deflagrada em 2002, são referentes a crimes financeiros e contra a administração pública, envolvendo João Arcanjo e diversos políticos da época.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrefeitura suspende atendimento no Restaurante Popular para reforma
Próximo artigoContribuintes podem saldar ou renegociar dívidas com o município em mutirão