Ação cultural leva ao Pedra 90 empreendedorismo feminino e oficinas para crianças

A atividade do coletivo Periferia Potência também terá música, poesia, teatro e artes visuais, das 15h às 21h, na EE Rafael Ruela e Praça Dona Martinha

Neste sábado (05), o Bairro Pedra 90 recebe atividades de artistas e ativistas dos Direitos Humanos, das 15h às 21h, voltadas à todas as faixas etárias. A ação cultural do coletivo Periferia Potência levará à Escola Estadual Rafael Rueda e à Praça Dona Martinha artes visuais, apresentações musicais, teatrais e literárias, além de criar um espaço de discussão com diversas representações e órgãos voltados às Políticas de Igualdade Racial e de gênero.

Coordenado pelas artistas visuais Paty Wolff e Gilda Portella, o evento expressa um chamamento às mulheres, crianças e jovens do bairro, que foi escolhido por ter registrado a maior quantidade de casos de violência doméstica em 2017, segundo levantamentos da Delegacia Especializada em Defesa da Mulher.

“A ação visa levantar as potencialidades e estimula-las com intuito de emancipação econômica e empoderamento social e artístico, com isso, igualmente contribuir para o acesso a bens culturais de populações da periferia da região metropolitana de Cuiabá”, escreveu Gilda Portela.

“Acreditamos que a autonomia financeira e empoderamento sociocultural dessas mulheres se fazem necessário, até mesmo para proteção de crianças e jovens do ciclo da violência”, complementa. Pensando nisso, a programação tem início com a palestra “Negócios Criativos” ministrada por Yara de Castro, às 15, na EE. Rafael Rueda. Paralelamente, acontece a oficina para crianças “Brinquedos Artesanais”, com as artistas Sônia Nigro e Evanice Monteiro.

Uma segunda etapa, na Praça Dona Martinha, em frente à escola, reúne representantes de órgão e conselhos municipais e estaduais, além de entidades de defesa da população negra e das mulheres, às 16h30. A partir de então, o espaço será tomado pela exposição “Arte á céu aberto”, pelo Circo Peregrino da Operação Só Ria, pela dança “O sagrado Feminino”, roda de capoeira com o grupo Aruandê.

As poesias marginais dos artistas Kyanaju e Alexandre Smille MC também marcam presenta na ação que será encerrada com apresentação da cantora Thais Serra, às 20h30. Confira a programação completa:

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEntre o caos e o sono tranquilo
Próximo artigoRessocialização será tema de audiência pública

O LIVRE ADS