90 denúncias em Cuiabá

Primeiras 24h de quarentena e irregularidades são encontradas em 63 bairros da Capital

Uma movimentação modesta de carros e pessoas foi registrada na quinta, primeiro dia de "lockdown", na avenida Generoso Ponce, em Cuiabá (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O primeiro dia de fiscalização após vigência da quarentena coletiva obrigatória, determinada por decisão judicial em Cuiabá, resultou no atendimento de cerca de 90 denúncias feitas por meio do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e disque-denúncia da Secretaria de Ordem Pública, entre 7h de quinta-feira (25) e 5h de sexta-feira (26).

A maior incidência de denúncias ocorreu entre as 15h e às 23h, a maioria relacionada a comércio funcionando em desacordo com o Decreto nº 7.970/2020, que autoriza apenas a abertura de 52 tipos de serviços considerados essenciais.

Nessa faixa de horário, foram atendidos aproximadamente 60 casos. Foram abordados salões de beleza, barbearias, concessionárias, lojas de eletrodomésticos, papelarias, estabelecimentos de ensino, lojas de roupas e acessórios, motéis, lanchonetes, academias, lojas de decoração, entre outros.

No período da manhã até às 15h, um pouco depois do prefeito Emanuel Pinheiro anunciar as novas medidas emergenciais e temporárias de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus, causador da Covid-19, foram cerca de 20 registros.

Já no período do toque de recolher, das 23h às 5h, houve apenas 12 chamados, o que demonstra que a população já se adaptou a essa medida, que vigora desde o último dia 13 e vai até o próximo domingo (28).

De acordo com o balanço da equipe de fiscalização unificada do Município – que conta com agentes de regulação e fiscalização da Secretaria de Ordem Pública, agentes de trânsito da Secretaria de Mobilidade Urbana e policiais militares, foram 60 bairros fiscalizados, sendo Centro, CPA 1, CPA 3, Quilombo, Dom Aquino, Jardim Industriário, 1º de Março, Porto e São Carlos os que tiveram mais incidentes.

De acordo com o secretário de Ordem Pública, coronel Leovaldo Sales, “houve uma certa demora no entendimento por parte de muitos comerciantes que acreditaram que a liminar seria revogada. O cenário hoje já é de um índice de atendimento maior, consequentemente uma adesão também maior! Não é tarefa muito fácil manter uma capital confinada em casa, mas temos feito o possível para melhorar o isolamento social”. 

O Decreto nº 7.970/2020, que determina a quarentena coletiva obrigatória na Capital, vale pelo período de 25 de junho a 09 de julho. A população pode ajudar a fiscalização da Secretaria de Ordem Pública pelo Disque-denúncia (65) 3616-9614, que atende de segunda a sexta-feira, em horário comercial. Nos demais horários, finais de semana e feriados, as denúncias devem ser feitas pelo 190.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDelivery regulamentado
Próximo artigoCom problemas psicológicos, homem morre engasgado enquanto comia