100 anos de sucesso: caipirinha se torna patrimônio imaterial do Rio de Janeiro

E embora a homenagem seja carioca, a "bebida-símbolo do Brasil" é paulista

(Foto: Freepik)

Limão, cachaça, gelo e açúcar. A caipirinha completou 100 anos de idade e, de presente, ganhou o título de patrimônio imaterial do Rio de Janeiro.

O reconhecimento foi publicado na edição desta quinta-feira (24) do Diário Oficial do Estado, após sanção do governador Wilson Witzel (PSC).

No texto, o coquetel é chamado de “bebida-símbolo do Brasil”.

A proposta de tornar a caipirinha patrimônio imaterial partiu do deputado estadual Paulo Ramos (PDT).

E embora a homenagem seja carioca, a caipirinha é paulista.

Foi criada na região de Piracicaba, no Século 19, segundo o historiador Luís da Câmara Cascudo. Somente no Século 20 o coquetel chegou ao Rio de Janeiro.

Já o Instituto Brasileiro da Cachaça aponta que a invenção da bebida foi no Século 20 – mais precisamente em 1918 -, mas também indica o interior de São Paulo como o local de origem.

Sua difusão pelo país, ainda conforme o Instituto, teria ocorrido a partir da Semana de Arte Moderna, de 1922, com a popularidade que o drinque ganhou entre os artistas.

(Com informações da Agência Brasil)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS