UFMT vai repassar R$ 670 mil para quitar salários de vigilantes

Profissionais fecharam as guaritas na sexta-feira, em protesto contra os atrasos

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Depois que as guaritas da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) amanheceram fechadas na sexta-feira (9) devido a uma paralisação dos vigilantes, a reitoria e a empresa MJB Segurança e Vigilância se comprometeram a quitar os salários dos funcionários terceirizados, atrasados há quatro meses.

Atualmente, 64 vigilantes atuam na segurança da Universidade.

Conforme o termo de compromisso firmado, a UFMT deve repassar, na próxima segunda-feira (12), R$ 340 mil para que a empresa quite as folhas de pagamento referentes aos meses de abril e maio deste ano.

A empresa de vigilância terceirizada se comprometeu a apresentar os comprovantes à reitoria até a quarta-feira (14). Apenas após a confirmação é que um novo repasse, de R$ 330 mil, será feito, na quinta-feira (15).

O novo valor também será usado exclusivamente para pagamento dos funcionários. os salários devem estar nas contas até o dia 20 de agosto.

Atrasos

Segundo a UFMT, o problema no repasse dos valores de abril aconteceu porque a empresa MJB não apresentou comprovante dos pagamentos salariais de março. Além disso, já naquela ocasião, a empresa estaria atrasando os salários, o que gerou um movimento de reivindicações. Trabalhadores teriam sido demitidos para evitar que a situação se alarmasse.

Em maio deste ano, a empresa acionou a UFMT na justiça devido a retenção dos valores. Ocorre que a MJB passa por recuperação judicial e não consegue emitir certidões negativas de débito. Os documentos são itens exigidos pela Universidade para que os pagamentos sejam liberados.

Ainda em junho, a Justiça determinou que a UFMT deixe de exigir os documentos, de forma excepcional. Apesar disso, a decisão não foi cumprida.