Que venha a derrota!

(Imagem de Dmitriy Gutarev, por Pixabay)

Se Deus quiser, perderemos! E com a derrota virá uma revolta, alimentada na chama da arrogância, que durará até que sobrem apenas as cinzas da resignação. Aí sim voltaremos à ação, pois na vitória apenas confiamos e esperamos, soberbos.

Melhor distinguiremos os bravos dos covardes. Com a derrota, os covardes se unirão aos inimigos, enquanto os bravos se tornarão humildes e vigilantes.

Perderemos as ilusões que nos cegavam e voltaremos a agir. Qualquer um de nós irá peitar 300 dos inimigos, enquanto hoje um rato nos amedronta.

Sorridentes, colocaremos a mão na boca dos cães raivosos e zombaremos da sua fraqueza. A derrota nos trará autoconhecimento. Saberemos quais são os nossos limites – e com isso nos tornaremos indiferentes e invencíveis.

Com os pés na lama, ergueremos nossos olhos para o céu, enquanto hoje só olhamos para o nosso próprio umbigo. Não cairemos mais na cilada dos elogios recíprocos e da glória infame. Não mais nos seduziremos por discursos vazios.

Que a derrota venha, acachapante. Sairemos do lago do narcisismo e nos recordaremos para onde estávamos caminhando, antes que a vitória nos cegasse.  Quem sabe até admitamos alguns de nossos erros.

Voltaremos a caminhar depois da queda. Em menor número, mas infinitamente melhores. E o inimigo vai reinar com medo. Fechará as cortinas do palácio e reunirá às escondidas sua turba. Todos os seus atos refletirão o medo que sentem de nós.

Venceremos se formos derrotados, ao passo que os vencedores reinarão derrotados. Que Deus não permita de novo a nossa vitória, pois ela será a nossa ruína!

LEIA TAMBÉM:

– O ladrão e o covarde

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrecisamos continuar produzindo
Próximo artigoMotorista alcoolizado é preso após matar motociclista em acidente