Por ofensa a Emanuel, Justiça suspende propaganda de Abílio

Candidato utilizou recursos gráficos e ator contando notas de dinheiro que seriam exemplo de propina paga a políticos

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O juiz da 1ª Zona Eleitoral de Cuiabá, Geraldo Fidélis, determinou que o candidato a prefeito de Cuiabá, Abílio Júnior (Podemos) suspenda imediatamente uma propaganda na qual aparecem as imagens de um ator contando notas de R$ 100 e de uma mulher vestida de palhaça. A alusão seria a pagamento de propina a políticos.

A decisão em caráter liminar atendeu pedido da defesa do prefeito e candidato à reeleição Emanuel Pinheiro (MDB).

O magistrado acolheu o argumento de que a propaganda é dominada por cenas que detém a utilização de atores, efeitos visuais com exibição de troca de imagens, fotos, caracteres dos candidatos em cenas externas e utilização de computação gráfica, o que é proibido pela legislação eleitoral.

Os advogados ainda argumentaram na ação que a propaganda de Abílio é narrada por locutor, que comenta a suposta existência de gastos astronômicos de adversários com campanha, promessa de cargos, loteamento de secretarias.

Além disso, as propostas dos candidatos se passam em um cenário exclusivamente virtual, com desenhos e efeitos especiais.

A decisão judicial determina que Abílio “se abstenha de veicular em seu programa eleitoral, as imagens combatidas pelo representado [Emanuel Pinheiro]”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSaudade de um cineminha? Duas redes reabrem as salas nesta semana em Cuiabá
Próximo artigoVídeo | Protestos na Bolívia denunciam possível fraude eleitoral