Pantanal tem aumento de temperatura e pode viver secas mais intensas, diz especialista

Cenário das queimadas de 2020 podem se repetir nos próximos anos, segundo estudo da UFRJ

(Foto: José Medeiros)

Desde 1980, o Pantanal ficou 2ºC mais quente e perdeu 25% da umidade relativa do ar, de acordo com modelos climáticos. E o cenário que já é ruim pode piorar. A tendência é que  aumento da temperatura chegue a 4,5ºC até 2100.

A previsão é apontada pela pesquisadora Renata Libonati dos Santos, professora do Departamento de Meteorologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Um monitoramento feito pela universidade apontou que, em 2020, o Pantanal viveu dias históricos. De acordo com os dados obtidos, 30% da região foi incendiada no ano passado. Cerca de 40% do território devastado não pegava fogo desde 2001.

LEIA TAMBÉM

Entre os motivos para a devastação, segundo a especialista, está outro recorde histórico que aconteceu do final de 2019 ao início de 2020: o intenso período de seca que atingiu a região.

A professora conta que foi “o maior período de seca dos últimos 60 anos que se tem registro”.  Alguns quesitos provocaram a catástrofe: os níveis dos rios abaixo da média e a falta de chuva prolongada; estresse da vegetação e do solo e a fatores externos, como a ação do homem.

Pode piorar?

Para este ano, a região ainda pode enfrentar períodos de estiagem, devido ao aumento de temperatura na região. De acordo com especialistas, a situação pode se intensificar no futuro e levar a períodos de queimadas parecidos com o que aconteceu em 2020.

“Modelos climáticos e projeções que meteorologistas fazem para os próximos 100 anos apontam que essa é uma tendência que pode chegar, num cenário mais pessimista, a um aumento de 3,5º C ou 4,5º C de temperatura e diminuição de chuva de 35% a 45%”, afirma Renata.

De acordo com a especialista, a solução para evitar esse cenário é “pensar que realmente existe aquecimento global e mudanças climáticas” , citando a necessidade de “nos organizar para procurar ações que possam mitigar os efeitos das alterações no clima”.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGrileiros invadem terreno em que seria feita ampliação de creche municipal
Próximo artigoMP denuncia ex-deputado e conselheiro do TCE e pede bloqueio de R$ 2 milhões