Ministério sinaliza construção da Casa da Mulher Brasileira em Cuiabá

Investimento pode chegar a R$ 1,5 milhão; local reuniria vários serviços para vítimas de violência doméstica

Foto: Ilustração

Mulheres vítimas de violência doméstica poderão ter acesso a vários serviços especializados em um mesmo lugar em Cuiabá.

A construção de uma Casa da Mulher Brasileira (CMB) foi debatida na terça-feira (15) entre a primeira-dama da Capital, Márcia Pinheiro, e a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

No local, haveria delegacia, Defensoria Pública, além de um espaço para acomodar provisoriamente mulheres agredidas pelos seus companheiros. Também atendimento psicológico.

Na reunião, foram apresentados quatro modelos estruturais da para a CMB de Cuiabá, levando em consideração o número de habitantes do município.

Na Capital, o local precisaria ter 270 m² de construção em um terreno mínimo de 500 m². O investimento para construir e equipar o local é estimado em R$ 1,5 milhão.

Outra opção sugerida pelo Ministério foi a adequação de alguma casa já existente. Nesse caso, o investimento seria na faixa dos R$ 500 mil.

(Foto: Willian Meira/MMFDH)

A CMB já existe em outras cidades do país. A de Campo Grande (MS), por exemplo, é referência nacional, com mais de 470 mil atendimentos, segundo dados da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

Outras cidades também já aderiram ao projeto são São Paulo (SP), onde a inauguração deve ocorrer em novembro, e Rio de Janeiro (RJ). Em Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC) os projetos ainda não saíram do papel.

Para a primeira-dama de Cuiabá, a criação da Casa da Mulher é de extrema importância.

“Assinamos a parceria com o Tribunal de Justiça de Mato Grosso para implantar a rede de proteção, concomitantemente anunciamos a criação da Secretaria Municipal da Mulher e tudo isso está em consonância com a nossa busca de, cada vez mais, fortalecer as políticas públicas para as nossas mulheres”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS