Mais ônibus, menos carro: prefeitura lança licitação e espera reduzir número de veículos nas ruas

A prefeitura de Cuiabá anunciou que pediu, na licitação, mais ônibus novos e com ar condicionado

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Pelos menos 35 mil carros novos passam a circular, anualmente, em Cuiabá, segundo o secretário de Mobilidade Urbana, Antenor Figueiredo. Para tentar diminuir esse número, que se junta a outros 400 mil veículos que já trafegam normalmente, a prefeitura pretende tornar o transporte público mais eficiente e cômodo.

Entre as maneiras listadas como melhorias para o transporte da Capital estão o aumento na quantidade de ônibus novos e dos que possuem ar condicionado. Esses requisitos, segundo a prefeitura, garantem pontuação extra para as empresas que pretendem participar da nova licitação do transporte coletivo. O certame foi aberto nessa sexta-feira (18).

Até o fim da manhã, cinco empresas já tinham apresentado propostas. Dessas, duas já prestam o serviço atualmente. São elas a Pantanal Transporte e a Integração Transporte.

Segundo o diretor de licitação da Prefeitura, Aguimar Siqueira, a estimativa é que as empresas vencedoras invistam pelo menos R$ 263 milhões ao longo de 20 anos de concessão. Essa outorga ainda pode ser prorrogada por mais cinco anos.

A ideia da prefeitura também é aumentar a frota que circula com ar-condicionado. Segundo o prefeito Emanuel Pinheiro, o objetivo é chegar até o fim de 2020 com pelo menos 70% de carros com ar, além de estar com pelo menos 70 ônibus “zero km” em circulação.

Empresários entregam envelopes para licitação do transporte público de Cuiabá (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Licitação

Essa é a primeira licitação para o transporte coletivo lançada pela prefeitura em 17 anos. A última concorrência pública foi feita em 2002, e as empresas que operam atualmente funcionam por meio de um contrato emergencial.

Nessa licitação, a prefeitura dividiu o município em quatro lotes de operação, sendo que as empresas concorrentes devem se inscrever para o lote que pretendem atuar. Segundo Siqueira, elas podem se inscrever para os quatro lotes, se desejarem, mas apenas poderão atuar em dois.

Já para vencer a licitação, as empresas precisam acumular a maior pontuação possível nessa concorrência pública. Os requisitos estão divididos em duas categorias: preço do serviço e qualificação técnica. É nesta última parte que entra, por exemplo, o número de ônibus novos e com ar-condicionado.

Serão consideradas vencedoras as empresas que tiveram a maior pontuação final.

Com VLT ou não

Emanuel Pinheiro aproveitou as diversas alterações que precisaram ser feitas no edital de licitação para incluir uma mudança. O prefeito destacou que, “pelo sim, pelo não”, o transporte de Cuiabá já vai estar adequado para a chegada – ou não – do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

Segundo o prefeito, como o governador Mauro Mendes ainda não se posicionou a respeito da conclusão da obra, ou da mudança para outro modal, foi preciso adequar a licitação. Dessa forma, no futuro, uma nova mudança no sistema de transporte não precisará ser feita.

Como exemplo, explicou que os sistemas passarão a ser integrados virtualmente. Isso significa dizer que vai ser possível descer de um ônibus e acessar o VLT ou outro modal.

A prefeitura também informou que adequou os locais onde vai instalar novas estações de ônibus. Dessa forma deve evitar que as estações sejam “retiradas”, com a chegada do modal.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS