Homem segue mulher em saída de festa e a estupra na rua

Ela tinha brigado com o marido e ido embora mais cedo, a pé, mas acabou estuprada no caminho de casa

Uma mulher de 32 anos foi vítima de estupro nessa sexta-feira (2) ao sair de uma festa em Pontes e Lacerda (445 km de Cuiabá). Ela havia brigado com o marido e resolveu ir para casa sozinha, mas foi seguida pelo estuprador.

Conforme relato da mulher, ela estava andando em direção à casa dela, por volta das 3h30, após a briga com o marido, quando notou que estava sendo seguida no Bairro Santo Antônio, próximo ao Residencial Vera.

Ela percebeu a perseguição quando virou em uma rua e o desconhecido, ainda assim, continuou o mesmo caminho que ela, virando também.

O homem tentou puxar assunto com ela perguntando onde estava o marido dela, dizendo que era de Comodoro (600 km de Cuiabá) e que a mulher dele estava bêbada na festa e “enchendo a cara”.

Ela tentou mentir que o marido havia ido embora antes dela, mas morava por perto e ela já estava chegando na casa dele. Mas quando viraram na mesma rua, o suspeito deu um tapa nas nádegas dela. Ela virou para ele e pediu respeito, dizendo que ela uma mulher de família.

Porém, quando tentou correr, foi agarrada pela garganta e puxada pelo pescoço até a obra abandonada de uma creche. Na entrada da obra, ela entrou em luta corporal com o suspeito e gritou muito por socorro, mas foi derrubada no chão e agredida no rosto.

O suspeito, então, a arrastou até uma sala que possuía um banheiro, abaixou as calças dela, a obrigou a ficar de costas e ela percebeu que ele abriu o cinto e abaixou as próprias calças. Em seguida, a estuprou.

Ela contou que ficou a todo momento tentando se livrar do suspeito, mas ele a segurava com força. No fim, ele se vestiu, ligou para alguém, pediu que o buscasse e fugiu.

Apavorada, a mulher se vestiu e saiu na rua para pedir ajuda, momento que encontrou seu marido, que estava de motocicleta à procura dela.

A mulher foi encontrada com hematomas na boca, no braço, arranhões e marcas no pescoço e no cotovelo, devido às agressões sofridas.

Ela contou nunca ter visto o suspeito antes, descreveu as vestes dele – camiseta rosa e calça jeans -, a pele morena e disse que ele era mais alto que ela e tinha um tipo físico de médio a forte.

O caso foi registrado como estupro, será investigado pela Polícia Judiciária Civil e o suspeito ainda não foi identificado.

Como você se sentiu com este conteúdo?

loading spinner

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.