Covid e os negócios: quem conseguir avançar 10 anos em 1 sobreviverá

Condessa Prime é um desses exemplo. Já nasceu em ambiente digital e cresceu 400% desde o início do isolamento social

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

A pandemia do coronavírus representou um salto temporal de cerca de 10 anos nos ambientes de negócios. Pelo menos, é o que falam os especialistas em economia, quando justificam os motivos que levaram as empresas a ruína ou ascensão durante o período.

Conforme as análises, quem fazia a gestão da empresa pensando no futuro, conquistou espaço na lista de casos de sucesso e o resultado foi obtido por meio de uma jornada integrada entre os ambientes offline e online.

Entre os defensores da teoria está David Clarke, um dos líderes em inovação estratégica da PwC. Em uma entrevista a revista Business Insider, ele abordou a questão falando da importância da transformação digital e também de se rever constantemente as estratégias e processos dentro da empresa.

Para ele, o fato não se resume à tecnologia, mas sim a inclusão da frente junto a escolha das ferramentas, técnicas e pessoas certas.

Conectado com a visão contemporânea dos negócios, Igor Alencar, proprietário da empresa Condessa Prime, conseguiu expandir e ter lucro de mais de 400% durante a pandemia.

Empresa inaugurou nova loja em Várzea Grande durante a pandemia e em meio ao isolamento social (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Ele trabalha com produtos de cama, mesa e banho e, após estudos, decidiu começar o negócio fora dos pontos comerciais que, até então, eram considerados promissores, como centro e shopping.

Usando ao pé da letra o conceito de “comendo pela beiradas”, hoje ele tem três lojas e cada uma delas é focada em um tipo de público, que varia do A até as classes mais populares.

A empresa tem cinco anos, começou em ambiente digital e depois teve a primeira instalação física no bairro Tijucal, uma das regiões da Capital que está crescendo por conta de novos condomínios e abertura de unidades residenciais.

Enquanto muitas empresas estão entrando nos canais de digitais hoje, nós começamos lá. Então, quando houve a abertura de portas para o atendimento presencial, já tínhamos investido em delivery, ship from store, promotoras de vendas e outras estratégias”, argumenta Igor.

Naquela época, a empresa estava se aperfeiçoando cada vez mais em manter a humanização e padronização do atendimento com o uso de ferramentas tecnológicas. Sendo assim, quando os estabelecimentos foram fechados por conta da covid e o consumidor mudou o comportamento de compra, a Condessa apenas acelerou o que estava em curso.

Pesquisas constantes delimitam as novas estratégias de atuação da empresa (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Investigando o cliente

Excelente dia! Qual nome do Conde ou Condessa? Qual loja fica mais próxima de você? Estas são as perguntas diárias feita pelos vendedores da loja para quem entrar em contato com a empresa.

As respostas são copiladas e subsidiam estratégias de expansão, a melhoria do atendimento e ainda servem de guia para compra e formação de estoque.

Outro ponto importante da pesquisa feita por Igor foi sobre como os clientes vão se comportar após a pandemia. E, em grande parte dos casos, a manutenção das aquisições online e com o menor gasto de tempo possível se mostrou um hábito que será perpetuado.

Um novo modelo que também já é trabalhado como certeza por grandes empresas e confirmado pela IDC Brasil – International Data Corporation Pesquisa de Mercado e Consultoria Ltda.

Uma pesquisa feita pela instituição aponta que 52% dos consumidores devem continuar comprando pela internet, mesmo após o fim da pandemia.

Lojas físicas proporcionam uma experiência única de compra para o consumidor (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Neste ponto, Igor acredita que as compras serão tanto para o sistema de entregas como para o Ship From Store, que a Condessa Prime empregou e teve retorno positivo. No sistema, todo processo de compra e atendimento é feito em ambiente online e o cliente vai a loja apenas para pegar os produtos.

A C&A, Americanas e Magazine Luiza, por exemplo, também estão atuando de maneira forte no canal, que deve ser uma realidade para os pequenos negócios.

Fazemos tudo para o cliente não perder tempo. Temos unidades que mais parecem Drive Thru. O cliente para o carro, pega o produto e vai embora. Também temos a preocupação de não querer ’empurrar’ nada. O cliente atual sabe o que quer e pesquisa antes de comprar. Então, não aceita ser enganado”.

Serviço:

  • @condessaprime
  • (65) 99248-5078
  • Condessa Prime atende em 3 unidades:
  • Av da Palmeiras, nº305, Jardim Imperial
  • Av. Filinto Muller, nº290, Várzea Grande
  • Av. Newton Rabelo de Castro, 1.576, Pedra 90

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorArte, beleza e felicidade
Próximo artigoCalor e umidade baixa? Conheça plantas que ajudam a umidificar o ar