Corta e joga fora

Por Francisney Liberato

Não colecione dons na prateleira da vida. Se as suas habilidades não provocam mudanças e resultados, não há proveito em tê-los.

A seleção brasileira de futebol masculina enfrentou a seleção do Peru, em um jogo no amistoso, realizado no dia 10 de setembro de 2019, nos Estados Unidos. As duas seleções tinham disputado a final da Copa América realizada no Brasil, e naquele jogo tínhamos sido campeões, ao vencer por 3×1.

A nossa seleção brasileira, de fato não realizou uma boa partida no amistoso, já a seleção peruana se mostrou preparada para a vitória. Observando os melhores momentos daquele jogo, foi notável visualizar que, a seleção brasileira apesar de possuir o melhor elenco, perdeu muitos lances cruciais que culminaria em gols. Já o Peru, mostrou-se um verdadeiro aproveitador de oportunidades e venceu o jogo por 1×0.

Nesse aspecto, vimos que o jogo de fato não é aquele que coleciona teorias e sim, bons resultados.

Conheço muitas pessoas que possuem um cérebro organizado, uma boa memória e raciocínio rápido. São indivíduos que detêm muitas capacidades racionais. Alguns destes estudam para concursos públicos, mas não obtêm resultados satisfatórios. Às vezes se indagam de o porquê não conseguem alcançar êxito, já que possuem elevada capacidade cognitiva.

A conclusão para este dilema é que, apesar de todas as condições pessoais favoráveis que um indivíduo possa ter, é preciso dedicação. Muitos por acharem que não necessitam de tantos esforços, acabam desperdiçando grandes chances de serem incrivelmente bem-sucedidos.

Há estudantes que ficam fascinados pelos professores “bonzinhos” e que contam muitas piadas em sala de aula, todavia, isso se torna um problema quando o educador se esquece de cumprir com o conteúdo programático e, principalmente, de se preocupar, com o desempenho do aluno. Quando chega o momento da prova do Enem ou vestibular, o aluno se sai mal e não é aprovado, ou seja, os resultados são negativos.

A mesma lógica vale para os “bons chefes”, que não cobram e não exigem o melhor dos seus subordinados. Os superiores evitam desgastes e indisposições, entretanto, normalmente quando chega ao final do mês, não há bons resultados, e consequentemente, ocorrem frustrações de ambos os lados e, provavelmente, ocorrerão cobranças e pressões.

Na minha concepção, não adianta ser o craque do time, o mais inteligente, o conhecedor de todos os assuntos, o professor piadista, o chefe bonzinho, o melhor músico, o vendedor comunicador, palestrante querido, enfim, se não houver bons resultados. Em síntese: ser o melhor, sem resultados, não vale de nada! O sucesso tem que deixar rastros. No mesmo sentido, o livro de Matheus 7:19 é categórico ao afirmar, por parábola: “Toda árvore que não produz bons frutos é cortada e atirada ao fogo”.

Mesmo àqueles que possuem dons e habilidades, se não houver treinos, esforços, pesquisas, estudos, dedicação, não terão bons frutos e provavelmente, “atrofiarão” suas qualidades. É necessário treinar constantemente para alcançarmos bons resultados.

Quer ser o melhor? Ótimo! O meu desafio para você é buscar ser o melhor com resultados, independente dos seus dons ou habilidades, dessa forma, haverá satisfação suprema. Busque e lute pela excelência com resultados.

Francisney Liberato Batista Siqueira é Secretário de Controle Externo, Auditor Público Externo do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, Palestrante Nacional, Professor, Coach, Mentor, Advogado e Contador. Autor do Livro “Mude sua vida em 50 dias”.

www.francisney.com.br

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorUm Jeep, uma viagem ou R$90 mil reais? Bio Extratus lança promoção Beleza Premiada
Próximo artigoSaques do FGTS: delegado dá dicas para evitar cair em golpes

O LIVRE ADS