Coleta de lixo suspeita?

Conselheiro Antônio Joaquim rejeitou pedido para suspender contrato de R$ 3,6 milhões da Prefeitura de Chapada dos Guimarães

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Antônio Joaquim, negou um pedido cautelar para suspender a contratação de empresa para coleta de lixo em Chapada dos Guimarães (65 km de Cuiabá), por suposto direcionamento da licitação. 

O contrato da prefeitura tem o valor de R$ 3,6 milhões e foi assinado com a Água Prata. A justificativa do conselheiro para rejeitar o processo cautelar foi a de que a coleta e transporte de resíduos é um serviço de urgência. 

A denúncia de suposto direcionamento foi protocolada pela empresa Eletroconstro Prestação e Terceirização de Serviços. Ela pedia suspensão da seleção. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorExtrema pobreza em MT
Próximo artigoLGPD: seus dados são valiosos, saiba como protegê-los e quais são seus direitos