Calor intenso: umidade do ar fica em menos de 20% e instituto emite alerta de perigo

Alerta é válido para quase todo o Mato Grosso. Temperatura máxima pode chegar a 37º

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A população mato-grossense deve ficar alerta com o calor intenso que acomete as cidades do estado nesta sexta-feira (31). Isso porque a umidade relativa do ar não deve passar dos 20%, conforme alerta do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Também nesta véspera de final de semana, a temperatura máxima poderá atingir os 37º.

Um alerta publicado pelo Inmet nesta sexta-feira aponta a baixa umidade para todo o Sul e Leste de Mato Grosso, com umidade variando entre 20% e 12%. Com medidas tão baixas, o instituto classificou a exposição ao sol como “perigo”. O instituto ainda alerta para “riscos de incêndios florestais e à saúde”. Ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz também poderão ocorrer.

De acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), em Cuiabá, a temperatura nesta sexta-feira deve permanecer entre 23ºC e 37ºC, enquanto em Chapada dos Guimarães (60 km da Capital) os termômetros poderão marcar até 32ºC.

Em outras regiões do estado, como em Tangará da Serra (245 km ao norte), a temperatura para sexta-feira poderá chegar a 34ºC, enquanto em Rondonópolis (212 km) poderá atingir até 36ºC.

Previna-se contra a baixa umidade do ar

Para não sofrer de forma intensa com a severidade da baixa umidade em Mato Grosso, a recomendação do Inmet é a ingestão de bastante líquido, hidratação para a pele,uso de umidificador para o ambiente, além de não ser recomendada atividades físicas e a exposição solar, principalmente nos horários mais quentes do dia.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno desenvolve projeto para ampliar acesso de presos à educação
Próximo artigoSelma Arruda se diz boicotada, rompe com coligação e vai “tocar campanha sozinha”