Saneamento: Águas Cuiabá investe R$ 400 milhões na capital de MT

Novas estruturas e modernização dos sistemas trazem mais sustentabilidade ao meio ambiente

(Foto: Reprodução/Assessoria)

Mais de 100 mil moradores de Cuiabá já comemoram o ingresso no sistema de abastecimento contínuo e seguro de água. A medida foi possível graças aos investimentos maciços em saneamento, realizados pela Águas Cuiabá nos últimos 18 meses.

Concessionária dos serviços de água e esgoto municipal desde agosto de 2017, a empresa já investiu R$ 400 milhões em obras e inovações.

Nesse tempo, a Águas Cuiabá substituiu e modernizou estruturas, aperfeiçoou sistemas de controle e adquiriu equipamentos de alta tecnologia em saneamento. Além disso, ampliou os 13 sistemas de abastecimento de água e ainda as redes de esgotamento sanitário da cidade.

Os maiores investimentos foram realizados nas unidades Ribeirão do Lipa e Sul, localizadas na região do Coxipó. Juntas, elas receberam o aporte de R$ 125 milhões, o que beneficiou diretamente mais de 250 mil habitantes.

Conforme a empresa, o objetivo é o equilíbrio necessário para um saneamento sustentável, em todas as regiões da capital, e a proteção dos mananciais hídricos que abastecem a cidade.

“Nossa prioridade, como investimento, é a qualidade da entrega do serviço à comunidade. Por isso, no setor da distribuição, priorizamos a retirada de vários bairros do regime de intermitência”, destaca o gerente de engenharia da concessionária, William Figueiredo.

De acordo com o gestor, a construção do sistema Sul já está na fase final. Quando concluída, a unidade vai permitir que mais de 85 bairros passem a ter o abastecimento de água regular. Entre esses bairros está o Santa Terezinha, que concentra alta demanda populacional.

Tecnologia a serviço do melhor saneamento

A comunidade cuiabana também já foi beneficiada com investimentos que aprimoraram o atendimento rotineiro da distribuição de água.

Para tanto, a Águas Cuiabá direcionou investimentos à modernização de estruturas que integram os sistemas de saneamento, com inovações tecnológicas em unidades de tratamento, novos equipamentos para os laboratórios de análise e qualidade da água, adoção de aparelhos de georadar (que mapeiam vazamentos) e aparelhos de medição (macromedidores, que aferem a produção de água ao final do processo de tratamento e a vazão na rede de distribuição), entre outros.

Entre os investimentos nas estruturas existentes, a companhia destaca dois pacotes de ação que impactam o dia a dia dos cuiabanos: a padronização das ligações de água e a substituição de redes antigas, que já não mais atendiam adequadamente aos consumidores.

A padronização garante eficiência na leitura do consumo real de água de cada unidade e segurança ao cliente, ao passo que a troca de tubulações deixa para trás as ocorrências de vazamentos e quebras de redes em pontos mais antigos da cidade, sobretudo no Centro Histórico da tricentenária Cuiabá.

Ambas as prioridades, traduzidas em obras e recursos, ampliam a qualidade dos serviços entregues à comunidade e colaboram com o combate ao desperdício de água e preservação do recurso hídrico.

Cobertura de esgoto

Para o esgotamento sanitário, a companhia vem conduzindo um desafiador plano de ação, com um investimento já realizado superior a R$ 150 milhões. Esse vetor possibilitou o alcance do percentual de cobertura de esgoto em 61%, ao fim do ano de 2019.

Ampliação da rede coletora, das estações elevatórias e de tratamento estão no curso dos investimentos.

“Assumimos a rede pública de saneamento e avançamos na cobertura com as obras da região do Dom Aquino e do Tijucal. Ainda há muito a fazer em outras regiões, reconhecemos isso”, diz Figueiredo.

Ele destaca, porém, que mais de 114 bairros já começaram a receber o serviço de esgotamento nesses 18 meses. “Isso é eficiência em investimento em saneamento. E mais: é saúde, qualidade de vida, manutenção dos nossos recursos hídricos e legado para as próximas gerações”, afirma.

Investimento privado para mais saneamento

Estudo técnico realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) comprova que os investimentos vindos da iniciativa privada impulsionam a melhoria nos índices do saneamento no Brasil.

Negócios em expansão se somam ao compromisso do país, selado com a ONU, na chamada Agenda 2030: chegar àquele ano tendo cumprido a meta de assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos.

O objetivo, um dos 17 acordados por diversas nações no Pacto Global, perpassa outras metas mundiais, incluindo a melhoria da qualidade de vida da população global, a redução de desigualdades sociais e a promoção de um meio ambiente sustentável para esta e para as futuras gerações (para saber mais, acesse: https://nacoesunidas.org/pos2015/).

Conforme o levantamento da CNI, de 2014 a 2016, o investimento privado em saneamento chegou à marca de R$ 418,16 por habitante, mais que o dobro da média nacional (considerando investimentos públicos nos serviços de saneamento operados por órgãos estatais), de R$ 188,17 por pessoa.

O estudo também aponta que apenas 6% das companhias de água e esgoto do país são privadas, atendendo a 9% da população nacional, incluindo Cuiabá.

Com assessoria

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSolidariedade: banco abre contas para receber doações a vítimas de enchentes
Próximo artigoEcólogo americano monitora e dá “RG” a onças e ariranhas do Pantanal

O LIVRE ADS