ONG transforma estacionamento em abrigo à noite para pessoas sem-teto

Pessoas em situação de vulnerabilidade sofrem com os efeitos nocivos da privação do sono, agora, podem ter uma noite de sono tranquila

Muitos espaços público-privados poderiam ser utilizados 24 horas, parte delas, para quem não tem onde morar. O fundador da ONG Beddown, Norman McGillivray pensou na população em situação de rua quando decidiu transformar um estacionamento coberto em abrigo, para que pessoas pudessem dormir à noite, horário em que o espaço fica vazio.

A inspiração veio quando ele caminhava por um estacionamento vazio e procurou um dos maiores operadores de estacionamento de Brisbane, em Queensland, na Austrália – o Secure Parking – para pedir um teste de duas semanas.

Depois de montar as camas com edredons para 41 os desabrigados, a ONG de Norman ainda conseguiu um espaço para banho, roupas novas, médicos, enfermeiros, dentistas e cabeleireiros para atender as pessoas.

O grupo de voluntários consolidou um ambiente seguro para os sem-teto terem uma boa noite de descanso. Ideia que pode ser copiada em qualquer parte do mundo.

A aplicação foi um sucesso. Nenhuma perturbação foi registrada e as pessoas desocuparam o local no horário do término da estadia. A instituição de caridade pretende, com autorização dos proprietários, ocupar lugares usados apenas durante o dia e transformá-los em abrigos para os desabrigados à noite.

Muitos sem-teto sofrem de privação do sono por causa de suas condições de vida, e isso pode levar a outros problemas, como depressão, diabetes, hipertensão, obesidade e perda de memória.

Outro problema é o risco constante de serem atacados, roubados e perderem as poucas coisas que têm.

“A privação do sono é um grande problema para os desabrigados. Por estarem agora em lugar que oferece abrigo e é seguro e é confortável, acreditamos que terá um grande impacto sobre quem usa o Beddown ”- escreveram os criadores do Beddown no perfil no Instagram.

Confira:

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS