Motociclistas estão presentes em 50% dos acidentes com vítimas registrados na BR-163

Excesso de velocidade e desrespeito às leis refletem nos números

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

As motocicletas estão envolvidas em 50% dos acidentes com vítimas na BR-163, em Mato Grosso, mesmo representando apenas 2% do total de veículos que percorrem a rodovia. Em 2021, a Concessionária Rota do Oeste registrou, em média, duas ocorrências por dia envolvendo esse tipo de veículo.

As quedas (219 casos), as colisões transversais (169) e traseiras (100) foram os principais tipos de acidentes atendidos nos 850,9 quilômetros sob concessão. Como forma de mitigar esse cenário, a Rota do Oeste conta com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) nas ações de fiscalização e orientação sobre as leis de trânsito.

O excesso de velocidade, a falta de atenção e o desrespeito à legislação de trânsito e à sinalização são motivadores para este percentual. Outro fator que favorece essa realidade são as travessias urbanas da rodovia, onde é comum os condutores de motocicletas se comportarem como se estivessem em um tráfego da cidade, ignorando o alto fluxo de veículos de carga existente na BR-163.

O diretor de Operações da Rota do Oeste, Wilson Ferreira, explica que embora as motocicletas não sejam os veículos que mais percorrem o trecho sob concessão, elas são muito atuantes nos trechos urbanos, onde é registrada a maioria dos acidentes com esse tipo de veículo. Além disso, a exposição natural do condutor leva ao alto índice de vítimas.

Falta de atenção?

Ferreira aponta ainda que os tipos de acidentes mais registrados com motocicletas sinalizam a necessidade de uma atenção maior por parte dos condutores.

“As quedas e as colisões traseiras, na maioria das vezes, são reflexo da inobservância ao tráfego de veículos aliada ao excesso de velocidade. Já as colisões transversais ocorrem, normalmente, durante manobras inapropriadas para os locais, como entrada sem atenção na via, pular canteiros e fazer ultrapassagens sem a devida atenção. Muitos acidentes podem ser evitados quando a legislação e a sinalização de trânsito são respeitadas”, comenta.

Outros inimigos da segurança viária são o uso do aparelho celular, o consumo de álcool aliado à direção e a falta de habilitação para a condução do tipo de veículo. No caso dos motociclistas, a ausência dos equipamentos de proteção também agrava o estado de saúde em casos de acidentes. Não é raro encontrar condutores sem capacete, usando calçados e roupas inadequados.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCentro-Oeste registra queda de quase 9% nas vendas por e-commerce
Próximo artigoSancionada a lei que amplia pena para violência contra crianças