Mauro Mendes diz que cortou a “mamata de incentivos fiscais” em MT

Extinção de incentivos ilegais seria a justificativa para anunciar investimentos de R$ 9,5 bilhões até 2022

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O governador Mauro Mendes disse nesta quinta-feira (5) que “equilibrou” as contas do Estado com o “corte de incentivos fiscais concedidos via pagamento de propina”.  

Mendes disse que o plano de reinstituição dos incentivos, em vigor desde o início de 2019, corrigiu os benefícios que teriam sido criminalmente aprovados pelo ex-governador Silval Barbosa a vários setores produtivos. 

“Quero ver o pessoal vir falar que aumentamos os impostos. O que tinha era mamata, era teta de incentivo dada com propina. O que nós fizemos foi cortar esses incentivos, corrigi-los para um padrão correto, não houve aumento de impostos”, disse ele entrevista à rádio Mega FM, de Cuiabá. 

Segundo ele, a extinção desses incentivos ilegais seria a justificativa para a previsão de investimentos em R$ 9,5 bilhões até 2022, com mais de 60% do montante saídos da fonte própria do Estado. O governo estima mais de R$ 6 bilhões. 

A cifra bilionária reacendeu o debate sobre a reinstituição dos incentivos. O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Mato Grosso (Fecomércio-MT), José Wenceslau Souza Junior, afirma que a capacidade do Estado é resultado da majoração fiscal. 

Ontem (4), ele disse que o Estado não produz riqueza e sua fonte de recurso advém da cobrança de impostos, principalmente o ICMS.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorÁgua em gel
Próximo artigoMulher é presa em Cuiabá após se recusar ser revistada por PM negra: “Sou racista mesmo”