IFMT produz 2 mil litros de álcool 70% para doar a entidades e comunidades carentes

Produto já chegou à Casa do Migrante, Abrigo Bom Jesus e orfanatos

Projeto mobiliza voluntários e parceiros (Thiago Almeida/IFMT)

Solidariedade aquece o coração, principalmente, nos tempos de crise. E são diversas as ações que têm espalhado o bem em Mato Grosso e no Brasil, como um projeto do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), em Cuiabá, que acaba de surgir.

Voluntários estão produzindo álcool 70% para doação. Além de centros de ajuda humanitária, o produto vai chegar também, a comunidades carentes.

Ao todo, 2 mil litros do antisséptico serão produzidos. A ação é uma parceria entre o IFMT, o Conselho Regional de Química (CRQ) e a Prefeitura de Cuiabá.

O coordenador do campus Bela Vista, Deiver Teixeira explica que o foco é colaborar para a redução da demanda suprimida em comunidades. “E também, em entidades da área da saúde que hoje são linha de frente no combate à covid-19”.

Rede voluntária

A força-tarefa para a produção conta com 15 voluntários. São servidores do IFMT e membros das entidades parceiras. Já os produtos químicos são fornecidos pelo CRQ.

Insumos como garrafas plásticas, por exemplo, são doados pela prefeitura.

Empresas privadas também colaboram com a ação, como a Marajá, Água Mineral Buriti, RG Solution, Safras Indústria e Comércio de Biocombustível, Maxvinil e Gráfica SinalTEC.

A produção será entregue a órgãos parceiros que vão distribui-lo de acordo com as necessidades de entidades em vulnerabilidade.

Estão na lista a Casa do Migrante, o Abrigo Bom Jesus, AACC e orfanatos do Cena Onze.

Na sexta-feira migrantes receberam doações da equipe de voluntários do projeto coordenado pelo IFMT (Divulgação)

‘Doação em boa hora’

A primeira remessa começou chegou à Casa do Migrante nesta sexta-feira (27). A coordenadora da Pastoral do Migrante, Eliana Vitalino, diz que a doação chegou em uma boa hora.

“Uma das coisas que cortava o coração era não ter o álcool, enquanto todo mundo pedia o produto, não tínhamos para disponibilizar. Quando a doação chegou só ouvíamos obrigado”, lembrou Eliana.

Álcool e higienização das mãos

Os vírus possuem uma espécie de capa protetora formada basicamente por gordura. Essa capa pode ser facilmente destruída com a simples higienização das mãos. Desta forma, a higienização com água e sabão é tão eficiente quanto a utilização do álcool, líquido ou em gel, 70%.

A recomendação de especialistas é que se mantenha a higiene regularmente, para evitar a proliferação do vírus.

A utilização do álcool 70%, de acordo com especialistas, é recomendada principalmente em situações onde o acesso à água e sabão é limitado ou inexistente.

(Com Assessoria)

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMissa de domingo da Igreja Nossa Senhora Auxiliadora será transmitida pela internet
Próximo artigoPastor é preso por fazer culto durante quarentena; ele alegou seguir ordem do presidente

O LIVRE ADS