Estamos mais vulneráveis: risco cibernético cresce 10 vezes no país

Levantamento de empresa especialista em segurança digital aponta que número é efeito do home office adotado na pandemia

(Foto de Lukas no Pexels)

O home office adotado por conta da pandemia da covid-19 tornou os brasileiros mais expostos a riscos cibernéticos. A vulnerabilidade na rede mundial de computadores aumentou 10 vezes em comparação com dados de 2016.

É o que aponta um levantamento da GAT InfoSec, empresa brasileira especializada em segurança cibernética. Os dados da pesquisa foram publicados na coluna Broadcast do Estadão, na última quarta-feira (12).

Mas estar mais expostos não é exatamente o problema. O pior, de acordo com o levantamento, é que quase todas essas vulnerabilidades não precisavam existir. Bastava um pouco mais de conhecimento dos usuários.

Segundo a pesquisa, 70% das falhas em segurança poderiam ser evitadas com uma simples atualização dos servidores ou estações de trabalho. E desse total, 59% dos erros tinham correção disponível há mais de um ano.

Outro dado do levantamento: 66% das vulnerabilidades continuam lá – absolutamente nada foi feito para mitigá-las, embora já exista solução para isso.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVenda de imóveis cresce 47% no primeiro trimestre em Cuiabá
Próximo artigoAposentada diz que pode ficar cega após falha médica do Estado