Dono de restaurante é preso por matar e ocultar corpo de mulher que foi cobrá-lo

Ele enviou mensagem do celular dela para o marido, mas as palavras usadas fizeram o marido desconfiar que algo estava errado

O dono de um restaurante de Sinop (500 km de Cuiabá) foi preso nessa sexta-feira (23) depois que a Polícia Judiciária Civil solucionou o desaparecimento de Elida Cristina da Silva Fardin, 35 anos.

Conforme informações da Polícia Civil, Elida saiu de casa no domingo (18) para buscar um valor em dinheiro com o suspeito a pedido do marido e desde então, não foi mais vista.

Na segunda-feira (19), o marido dela procurou a polícia e relatou o desaparecimento da esposa. Segundo ele, algum tempo depois de sair de casa, ele recebeu uma mensagem da esposa relatando que tinha recebido R$ 14,5 mil e não retornou para casa porque precisava espairecer.

No entanto, o marido desconfiou da mensagem, uma vez que as palavras utilizadas não eram comumente usadas por Elida e ao tentar ligar para ela, o celular só dava como desligado. Por isso, ele procurou a polícia.

Logo depois de receber a denúncia, a Polícia Civil começou a investigar o caso e intimou o dono de um restaurante da cidade a depor, já que ele havia sido a última pessoa a ter contato com a vítima, quando ela foi cobrá-lo.

Durante o interrogatório ele acabou confessando que matou Elida e contando onde havia escondido o corpo dela.

Segundo relato do acusado, ele e a vítima tiveram uma discussão e durante a briga, ele a pegou por trás e a enforcou com uma corda de nylon. Depois de assassiná-la, colocou o corpo de Elida em um saco e lacrou com fita adesiva.

Por volta das 18h30 do domingo (18), o suspeito colocou o corpo da vítima em seu carro e a jogou em uma valeta próxima à subestação de energia da cidade de Sinop.

Diante da confissão, os policiais foram até o local indicado pelo suspeito e encontraram o corpo de Elida dentro de sacos plásticos de cor preta. O caso foi registrado como homicídio e ocultação de cadáver.

(Com Assessoria)