Saneamento com inovação, Cuiabá tem

Por: Kenon Oliveira

Desde 2017, ano em que a Águas Cuiabá iniciou sua atuação, a Capital vem passando pelo processo de expansão da cobertura de saneamento como um todo. O Brasil, no entanto, costuma priorizar o abastecimento de água – por razões evidentes, de sobrevivência – em detrimento ao esgotamento sanitário. Mas, avalio, é uma linha equivocada, com fatura ambiental inevitável: mananciais ameaçados, poluídos e impróprios, restringindo fortemente a oferta de água na torneira e evidenciando que o desenvolvimento sustentável requer um saneamento básico harmônico e sinérgico.

Para nós, a boa notícia é que o município optou por um caminho diferente. A escolha feita por Cuiabá de priorizar a expansão dos sistemas de esgotamento sanitário pode ser vista a qualquer hora do dia, nas mais diversas regiões. Somente este ano nosso time já instalou cerca de 180 quilômetros de redes coletoras de esgoto em 53 bairros, fazendo a cobertura de esgoto saltar dos 54% registrados em 2017 (quando os serviços foram inicialmente concedidos) para os atuais 78%.

As melhorias no esgotamento sanitário da cidade começaram a ocorrer fortemente de quatro anos para cá. A estação de tratamento mais antiga, ETE Dom Aquino, foi reestruturada, teve a capacidade operacional ampliada, ganhando sistemas operacionais modernos. Hoje, ela trabalha plenamente, tratando 350 litros por segundo e beneficiando, diretamente, o Rio Cuiabá.

No outro lado da cidade, a ETE Tijucal também recebeu importantes investimentos. Ela trata, atualmente, 250 litros de efluentes por segundo e conta com uma unidade construída para receber as cargas dos caminhões limpa fossa, que são purificadas juntamente com o esgoto trazido pela rede pública de coleta.

É muito gratificante para mim, como engenheiro civil, poder atuar em um projeto tão relevante. E mais: saber que, além de ser referência em quantidade, dado o volume de obras e investimentos financeiros, ele também é referência em qualidade. Neste ponto, especificamente, gostaria de me referir à mais nova Estação de Tratamento de Esgoto de Cuiabá, a ETE Lipa, que está quase pronta e já entrou na fase inicial de operações.

Em sua plena capacidade operacional, prevista para 2022, a ETE Lipa, ao tratar 260 litros por segundo, evitará que sete toneladas de carga poluidora sejam lançadas, por dia, no Rio Cuiabá. Ela faz parte do Sistema Lipa de Esgotamento Sanitário, que atenderá a 126 mil pessoas em 77 bairros. Somada a iniciativas futuras, a implantação do SES Lipa vai colaborar significativamente para que seja alcançado o ideal de cobrir toda a cidade com os serviços de água (meta já performada) e esgoto. E os avanços não vão parar: em breve começará a ser construído o Sistema de Esgotamento Sanitário Sul, cuja ETE terá capacidade de processar 170 litros por segundo.

É muito bom fazer parte da história da evolução dos serviços essenciais de uma cidade. Vamos seguir cumprindo nossas diretrizes de expansão, com dedicação e afinco, certos de que, ao decidir pela priorização do saneamento, Cuiabá viverá tempos de mais saúde e qualidade de vida.

*Kenon Oliveira é gerente de tratamento de água e esgoto da Águas Cuiabá

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSerafina entra no espírito Natalino com trenzinho do Papai Noel e novo cardápio de pizza
Próximo artigoComércio: ações realizadas e expectativas para 2022