Covid-19: Cuiabá vai seguir o protocolo de vacinação do Ministério da Saúde

Prefeitura diz que vai utilizar a vacina que foi indicada pelo governo federal

(Foto: Reprodução/Internet)

O município de Cuiabá vai incorporar o plano de vacinação para a covid-19 montado pelo Ministério da Saúde e já começou o processo de compra de refrigeradores para estocar as doses de vacina. Com isso, a aquisição direta da vacina pelo próprio município tende a passar para segundo plano. 

A Secretaria de Saúde do município realizou uma reunião na manhã dessa quarta-feira (23) em que o plano de vacinação foi um dos tópicos. Ficou definido que o Sistema Único de Saúde (SUS) na Capital vai seguir os protocolos do governo federal, como as fases de imunização por grupos prioritários e adoção da vacina distribuída pelo ministério. 

“Por sua vez, a Secretária Municipal de Saúde já tem se preparado quanto à logística, por exemplo, com a aquisição de câmaras frias para instalação nas unidades de saúde, bem como de contratação do serviço de transporte das doses”, diz nota da secretaria. 

No começo deste mês, o prefeito Emanuel Pinheiro fez uma consulta ao governador de São Paulo, João Dória, sobre a venda de parte das quatro milhões de doses da CoronaVac que o Estado irá fornecer no processo de compra com o Instituto Butantan. 

Contudo, o interesse não teria avançado para além de um primeiro contato para entrar na concorrência de compra. A Secretaria de Saúde, no entanto, afirma que essa possibilidade não está descartada. 

João Dória anunciou no mês passado que irá iniciar a campanha de imunização no fim de janeiro. E a decisão foi sustentada por julgamento Supremo Tribunal Federal (STF) que estabeleceu autonomia paralela a Estados e municípios na elaboração do plano e compra de vacinas. 

Pelo anúncio do Ministério da Saúde, dentro do Plano Nacional de Vacinação, Mato Grosso deverá receber vacina da farmacêutica belga Janssen (Johnson & Johnson). Em reunião na semana passada, os cientistas responsáveis pela vacina disseram que precisarão de dois meses para avaliar o resultado de teste em 40 mil voluntários para só então poder se chegar à eficácia. 

O Ministério da Saúde prevê aquisição de 38 milhões de doses dessa vacina em 2021: 3 milhões no segundo trimestre, 8 milhões no terceiro, 27 milhões no quarto (outubro e dezembro). O laboratório ainda não tem data produção em massa. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCeia diferentona: estudantes da UFMT criam receitas diferentes para o Natal
Próximo artigoBrasil proíbe voos vindos do Reino Unido e Irlanda do Norte