Casos de agressão contra a mulher em Sinop aumentam e Delegacia especializada segue fechada

Prometida desde 2013, a unidade ainda não realiza atendimentos

Foto: Simone Casagrande

Com três registros de vítimas de violência doméstica só neste fim de semana, em Sinop (500 Km de Cuiabá), e mais de 10 na semana passada, o número crescente de casos de violência contra mulher tem chamado atenção na Capital do Nortão, bem como a falta de apoio das autoridades às vítimas.

A tão esperada e anunciada delegacia da mulher criada em 2013, ganhou um prédio em maio de 2018 bem localizado, na rua da Caviúnas, porém continua fechada sem atendimentos.

Para uma senhora de 50 anos, vítima de uma tentativa de assassinato no domingo (12) pelo seu esposo quase foi tarde demais. A senhora conseguiu pedir ajuda da Polícia Militar para conter seu marido que queria matá-la, inclusive agredindo vizinhos que tentavam ajudá-la.

“Ele estava bêbado e totalmente fora de controle, esta não é a primeira vez que ele me agride”, afirmou à polícia.

Já no bairro Maria Carolina, ainda no domingo, uma jovem de apenas 19 anos, foi agredida violentamente com socos e chutes por seu marido. Segundo o registro ela também sofreu coação com uma arma de fogo, sendo ameaçada a todo momento.

“A guarnição teve ciência da ocorrência por denuncia de terceiros, e com uma ação rápida conseguiu evitar uma tragédia pior, porém ao perceber a presença da polícia o suspeito pulou o murro e evadiu-se do local. Já no interior da residência a PM ainda encontrou três armas de fogo, sendo elas espingardas calibres 20, 22 e 28, todas com munições”, relata a PM no documento.

Também agredida com violência pelo ex-marido, uma mulher de 26 anos, foi buscar os filhos, no bairro Jardim Violetas, que estava passando o feriado com ele. De acordo com o documento registrado pela Polícia Judiciária Civil, ao chegar na residência onde estava as crianças o pai não queria devolve-las naquele momento, alegando que estavam em uma festa de aniversário e queria que as crianças ficassem até o final.

“Eu desci do carro para pegar as crianças, então meu ex-marido começou a me agredir fisicamente e verbalmente, dizendo que se eu insistisse em entrar na casa, eu sairia de lá morta”, relata a vítima.

No B.O consta, que após a confusão seu ex-sogro colocou as crianças no carro e pediu para ela ir embora. A vítima teve o joelho e os braços lesionados pelo agressor.

A guarnição chegou a ir até a residência do acusado para apreende-lo, no entanto, o pai do agressor e proprietário da residência não permitiu a entrada dos policiais, pois não havia mandado oficial de busca.

Velho anúncio

A Delegacia da Mulher em Sinop foi criada pela Secretaria de Segurança Pública em 2013, autorizada por lei, mas não foi instalada por falta de aparelhamento e efetivo.

Já em 2015 a implantação da Delegacia da Mulher em Sinop foi novamente anunciada pelo poder público. Na ocasião a confirmação da abertura foi feita pela corregedora-geral de Justiça de Mato Grosso, Maria Erotides Kneip, durante um evento na cidade. No anuncio a inauguração estaria prevista para março de 2016.

Em agosto de 2017 a unidade contou até mesmo com um endereço divulgado na imprensa, mas novamente não saiu do papel.

“A princípio devemos abrir um setor no mesmo prédio da delegacia municipal. Iremos reformar o local para atendimento digno e prioritário da mulher. Os engenheiros virão de Cuiabá para ver as instalações e fazer um projeto. Eles devem apontar o valor financeiro da reforma. Posteriormente, vamos atrás de recursos para iniciar as obras”, disse Sérgio Ribeiro, na ocasião, mas o núcleo também não foi concretizado.

Durante a Caravana da transformação realizada em Sinop em maio de 2018 um novo anuncio foi feito marcando a data da inauguração, desta vez para junho, mas mais uma vez a Delegacia continuou na promessa.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMPE exclui hospitais particulares de ação contra judicialização da saúde
Próximo artigoBase eleitoral de 11 candidatos à majoritária, Cuiabá representa 18,8% dos votos nas eleições

O LIVRE ADS