Senador pede para CNJ investigar desembargador que mandou soltar Lula

José Medeiros (Pode-MT) disse que magistrado do TRF-4 foi partidário

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Senador José Medeiros (Pode-MT) pediu ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) abertura de processo disciplinar contra o desembargador federal do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Rogério Favreto. O parlamentar pede que o magistrado seja investigado de forma imediata.

O pedido é referente ao fato do magistrado, que estava de plantão no domingo (08), ter concedido liberdade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A decisão de soltura foi revogada por duas vezes e Lula não foi solto.

Na peça encaminhada ao CNJ, o senador alega que a aproximação do desembargador com o Partido dos Trabalhadores, por ele ter sido filiado a agremiação, deveria ter o tornado impedido de analisar e conceder o pedido.

Por conta dessa possível relação de amizade e/ou aproximação, Medeiros pede ao Conselho Nacional de Justiça que o magistrado seja investigado de forma imediata. “Caso sejam identificadas as em tese condutas ilícitas ou irregulares sejam manejadas as medidas e sanções cabíveis”, como consta no pedido.

Seguindo o mesmo discurso dos opositores a Lula, Medeiros se dirige ao desembargador Favreto como ex-militante do Partido dos Trabalhadores, não como magistrado. “Ele agiu como partidário”.

Medeiros ainda disse, em suas redes sociais, que a tentativa de liberdade a Lula “ficou parecendo uma tramoia”. O parlamentar ressalta que os três deputados que entraram com o pedido se aproveitaram do plantão comandado por Favreto. “Foi uma manobra sorrateira. Não vamos entrar no mérito da coisa, mas foi feio”, disse no vídeo que já conta com quase 71 mil visualizações.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS