Sem shopping: governo de MT assina contrato de concessão da rodoviária de Cuiabá

Projeto da Rodoviária Shopping é "enterrado" definitivamente e substituído por um mais "pé no chão"

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

O governo do Estado assinou o contrato de concessão do Terminal Rodoviário Engenheiro Cássio Veiga de Sá, em Cuiabá. Os valores previstos para investimento no local são mais “modestos” se compararmos com os apresentados em 2018, durante a gestão de Pedro Taques, quando não apareceu sequer um interessado habilitado na licitação.

A empresa vencedora, Sinart – Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico Ltda, já administra o local. Ela tem uma meta de investimentos de R$ 18,9 milhões, enquanto o projeto de  2018 estabelecia o gasto de R$ 30 milhões. Uma quantia que se recalculada, diante do aumentos de insumos da construção civil – quase 15% apenas este ano- estaria superior a R$ 40 milhões.

O que mudou no projeto

A proposta de Taques era um reestruturação geral e a abertura de uma Rodoviária Shopping, com elevador panorâmico, escadas rolantes, painéis de iluminação solar, telas com horários de partidas do ônibus, ar-condicionado, caixa eletrônico, grande praça de alimentação, uma unidade do ganha tempo, bilhetagem eletrônica e muito mais serviços.

Perspectiva de projeto anterior, que não teve interessados habilitados. Foto: (Imagem ilustrativa/ Sinfra)

Agora, a ideia é melhorar o que já está lá com obras de conservação, manutenção, adequações nos banheiros, modificações na área de embarque e desembarque e central de operações  – que deverá funcionar com monitoramento do fluxo dos usuários-, além de melhorias no estacionamento e sinalização visual dos serviços prestados à população dentro do terminal.

De novidade, haverá apenas a construção de elevadores panorâmicos e o serviço de internet wi-fi.

“Lançaram uma licitação em anos anteriores em que previam mexer na estética do prédio, que é um prédio diferenciado, uma arquitetura muito bonita e muito bem-feita. Mas antes de estética, o passageiro quer, principalmente aqueles que chegam de longas viagens, um ambiente limpo, higiênico e sem sujeira para usar, para tomar um banho. O passageiro quer comer uma refeição boa, quer ter segurança, quer uma rodoviária iluminada, acessível. É isso que um terminal rodoviário tem que ter e que essa concessão vai garantir ao usuário”, afirmou o secretário da Secretaria de Estado de Infraestrutura, Marcelo Padeiro.

Leia também:

Outros detalhes do contrato

O contrato de concessão valerá por 25 anos e o valor pago pela empresa para exploração econômica do local durante o período é R$ 240 milhões.

(Com informações da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Foi retirado um litro de líquido do estômago”, diz Eduardo Bolsonaro
Próximo artigoImunização da fronteira: Ministério da Saúde manda vacinas a mais para MT