“Se precisar vamos fazer 24 horas de sessão”, diz Botelho sobre lei de incentivos

Projeto começa a ser votado nesta quinta-feira (25), mas deputados devem pedir vista

Presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho (DEM) (Foto: JL Siqueira / ALMT)

Determinado a aprovar ainda nesta semana o novo projeto do governo sobre incentivos fiscais, o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado Eduardo Botelho (DEM), disse que já espera que a sessão extraordinária de sexta-feira (26) seja longa e dure mais de 20 horas, já que grande parte dos deputados não aceita as mudanças propostas.

Segundo Botelho, a sessão extraordinária desta quinta (25) deve ser rápida, já que os parlamentares devem pedir vistas de 24 horas à Mensagem do Executivo. No entanto, devem devolver na sexta e daí a sessão pode se estender até o sábado, até que todas as emendas sejam discutidas. Cada emenda pode ser discutida em separado. São os chamados “destaques”.

“A sessão vai começar sexta à noite e não vamos parar mais. Nós vamos tocando ela e, se precisar fazer 24 horas de sessão, nós vamos fazer”, destacou o parlamentar.

O projeto é polêmico e retira os incentivos de alguns setores, que passam a pagar impostos. Segmentos da economia dizem que o projeto do governo resulta em aumento dos preços ao consumidor. O governo, por sua vez, faz peça publicitária negando o aumento de imposto. A convalidação dos incentivos fiscais precisa ser votado até 31 de julho.

Leia também

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS